Sol Nascente ganha sua primeira escola pública nesta quinta (13)

A partir do dia 13 de março, os mais de 960 estudantes do Ensino Fundamental do Sol Nascente iniciarão o ano letivo em uma escola novinha. O Governo do Distrito Federal (GDF) vai inaugurar a nova unidade da Secretaria de Estado da Educação (SEEDF) nesta quinta-feira (13). É a primeira escola pública da recém-criada 32ª Região Administrativa do Distrito Federal.

A Escola Classe Juscelino Kubitscheck tem três mil metros quadrados divididos em salas de aula, quadra coberta de esportes, teatro de arena, biblioteca e outros equipamentos que a torna quase uma escola modelo. A entrega da escola põe fim a uma das ações judiciais por irregularidades ambientais e urbanísticas entre o GDF e construtoras do DF.

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL
Construída em 18 meses, a ECJk é um dos ajustamentos de conduta que a Organização PauloOtavio firmou com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDF) em razão das irregularidades ambientais e urbanísticas provocadas pela construção do Shopping JK, em Taguatinga. A empresa foi obrigada a oferecer contrapartidas para reparar alguns danos ambientais advindos de alguns dos seus empreendimentos no DF.

A primeira compensação foi a construção da Escola Classe JK, em Sol Nascente. Além de saldar um dos débitos da PO com o MPDFT e com o DF, a escola irá desafogar as demais escolas públicas de Ceilândia e Taguatinga, trará mais segurança às crianças da 32ª RA.  A segunda compensação, prevê a realização de benfeitorias no Parque do Cortado, em Taguatinga.

No parque, a Paulo Otávio fará reforma e manutenção da passarela de madeira que leva até uma cachoeira; construção de pista para cooper; quadras de esporte e mirante de madeira para fiscalização; instalação de bicicletário, torre metálica de observação, bancos de concreto, parque infantil e academia ao ar livre; além de implantação de sistema de captação de águas pluviais.

A terceira compensação que a empresa terá de apresentar é um projeto executivo completo para a construção de outra escola de Educação Infantil ou Ensino Fundamental de até 3 mil m² em Ceilândia ou Taguatinga. Para chegar a esse acordo, o MP ouviu a comunidade das regiões afetadas pelas obras da Paulo Otávio. Os moradores demonstraram interesse na permanência do shopping porque o empreendimento oferta empregos e opções de lazer.

Na época que os acordos foram estabelecidos, a promotora de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística, Andrea Chaves, disse que a solução foi construída em conjunto com o MP, a PO e a comunidade e acabou sendo satisfatória para todos os envolvidos. “Se o dano ambiental e urbanístico aconteceu naquela região, é importante que as compensações aconteçam lá e que tragam ganhos para a qualidade de vida da população”, afirmou.

LABORATÓRIO DE ROBÓTICA
O Sol Nascente é considerado uma das maiores favelas do Brasil. Mas, se depender do governo Ibaneis, ela terá todo o equipamento educacional para incluir seus moradores em novo patamar de qualidade de vida.

Com sua transformação em RA, o governo começou a investir com mais força nos equipamentos necessários para o bem-estar de seus mais de 60 mil moradores. No dia 31 de janeiro, a cidade-satélite recebeu um laboratório de robótica para os jovens pelo programa Passaporte para o Futuro.

O equipamento é o terceiro inaugurado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-DF) e conta com a parceria da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e o Instituto Campus Party. O governo pretende capacitar jovens de 15 a 18 anos no aprendizado e manuseio de softwares livres e impressoras 3D.

Os estudantes também aprenderão a construir robôs e drones e a assimilar conceitos de web design. As aulas serão gratuitas e buscam promover a inserção dessa área tecnológica cada vez mais presente em todo o mundo. Na primeira fase do programa serão abertos 13 laboratórios.

“Vamos capacitar cerca de 40 mil jovens para as profissões do futuro. Hoje, é uma alegria estar aqui no Sol Nascente, onde vamos formar 150 jovens ainda neste ano. A ideia é promover uma revolução tecnológica na nossa capital, e teremos mais 11 laboratórios nesta primeira fase do programa”, destacou Gilvan Máximo, secretário da Secti.

A primeira unidade inaugurada foi a do Paranoá, no dia 28/1; a segunda foi a de Ceilândia, também no dia 31/1. As turmas serão compostas de 25 estudantes por turno (matutino e vespertino), com monitores e orientadores. O critério de seleção dos estudantes serão os mesmos usados para o Cadastro Único. As vagas serão destinadas a jovens de família de baixa renda, das quais 50% para o sexo feminino e 50% para o masculino.

Deixe um comentário