Quatro manifestantes continuam internados em hospitais do DF

Marcha de trabalhadores para defender direitos trabalhista acaba em violencia nas esplanada dos ministérios com depredações. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Quatro pacientes permanecem internados no Hospital de Base do Distrito Federal, após a manifestação de quarta-feira (24) na Esplanada dos Ministérios. O protesto que seguia pacífico transformou a zona central de Brasília em um ambiente de guerra. Um manifestante foi baleado, outros dois teriam sido atingidos por artefatos da Polícia Militar.

O saldo foi de 35 manifestantes encaminhados ao Hospital de Base (HBDF), enquanto outros 10 foram para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran), segundo a Secretaria de Saúde.

A pior situação é a do paciente C. G. S. –  a Secretaria de Saúde não deu detalhes – que foi baleado no maxilar. Ele está sedado, respirando por aparelhos, sob cuidados intensivos no Centro de Trauma. Segundo manifestantes, os primeiros socorros foram realizados por populares e a ambulância demorou 20 minutos para chegar.

Bomba de efeito moral

O paciente Vítor Rodrigues Fregulia, de 21 anos, passa por um procedimento cirúrgico na mão. Seu estado é estável e respira espontaneamente. Porém, não tem previsão de alta. O jovem foi filmado com a mão dilacerada, quando participava do ato contra o governo Michel Temer. Segundo manifestantes, ele teria tentado atirar um rojão, mas o explosivo detonou em sua mão.

Os dados do jovem foram fornecidos por um manifestante que acompanhou o ocorrido. Segundo Thiago Ávila, Vítor Rodrigues estaria sendo vítima de uma campanha de difamação na internet. Já que o artefato que explodiu na mão do jovem foi jogado pela Polícia Militar e ele teria tentado devolver.

“Se alguém pensa que é uma bomba de gás lacrimogêneo e pega para devolver o gás à polícia, ela explode na mão e o resultado foi esse que vimos. Só ao meu lado duas outras pessoas também quase perderam a mão com este artefato militar que de forma alguma poderia ser utilizado contra a população”, diz o  texto publicado em seu Facebook.

Bala de borracha

O manifestante Clementino Nascimento Neto, de 35 anos, foi atingido por uma bala de borracha. Mesmo com o risco da perda de visão, o paciente foi medicado e teve alta ainda na quarta-feira (24), com solicitação de retorno após 24h.

Os outros dois manifestantes internados estão sob cuidados clínicos no Centro de Trauma. Ele segue sendo avaliado e respira voluntariamente.

 } else {

Fonte:

Deixe um comentário