“Professora” militarista é empresária em Brasília

Foto: Reprodução vídeo Facebook

A mulher que monopolizou a aparição de Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada na manhã de quinta-feira (2) pedindo que ele colocasse os militares “na rua” para garantir a volta do funcionamento normal das atividades comerciais e suspendesse o isolamento social de prevenção à covid-19 é a terceira fake news disseminada nesta semana pelo Presidente da República. 

Depois de publicar vídeos editados cortando a fala do diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) – que foram excluídos pelo Twitter e pelo Facebook – e outra falsa denúncia mostrando que o Ceasa de Belo Horizonte estava parado, Bolsonaro divulgou, ainda na manhã de quinta-feira, a fala “emocionada” da suposta professora. 

Porém, o internauta Luiz Carlos Limeira Neto descobriu, pelo perfil de Fátima Montenegro no Facebook, que ela é militante bolsonarista. Apresenta-se nas redes sociais como “professora, patriota, conservadora”, que “ama a família, o meu País e meus amigos. Acredito em Deus, acredito em um Brasil melhor”. 

Caligrafia – Dirigentes dos sindicatos de professores das redes pública e particular do Distrito Federal não reconhecem a mulher entre seus filiados. Mas a identificaram como dona de uma escola de caligrafia. Informam ao Brasília Capital que, após uma varredura, Fátima Montenegro foi reconhecida como aposentada, residente na CLN 305 da Asa Norte da capital da República e casada, embora diga ser separada do marido. 

No discurso que fez diante de Bolsonaro, ela parece chorar. Afirma que vai todos os dias para o portão do Alvorada, onde o Presidente costuma cumprimentar simpatizantes e dar declarações no mínimo polêmicas à imprensa. Na quinta-feira, ela estava com duas crianças, possivelmente seus filhos, e atacou o governador Ibaneis Rocha, sem citar o nome dele: 

“Já decretou mais um mês sem aula, sem nada”, referindo-se ao decreto publicado na véspera pelo GDF estendendo o isolamento social até 3 de maio. Ao final do vídeo, Bolsonaro corrobora: “A senhora fala por milhares de pessoas”. 

Pouco depois da postagem de Bolsonaro, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), ex-aliada do presidente, respondeu: “Se o Sr não parar com essas postagens, os militares vão para a rua para retirar o Sr, com base no artigo 142 da Constituição Federal. Meu povo sofrendo e o Sr fazendo graça! Pelo amor de Deus, amadureça!”.

Deixe um comentário