Professor da UnB ganha Prêmio Humboldt de Pesquisa

Jurista e professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB), Marcelo Neves. Foto: Divulgação

O professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB), Marcelo Neves, é o primeiro jurista brasileiro a ganhar o Prêmio Humboldt de Pesquisa, outorgado anualmente pela Fundação Alexander von Humboldt, criada em 1953. A comenda tem por principal objeto “promover a cooperação científica entre pesquisadores de excelência da Alemanha e de outros países”.

“O prêmio é concedido em reconhecimento a todas as realizações de um pesquisador até o momento, para acadêmicos cujas descobertas fundamentais, novas teorias ou ideias tiveram um impacto significativo em sua própria disciplina e que devem continuar produzindo conquistas de ponta no futuro”.

Dentre os ganhadores do Humboldt, 34 cientistas receberam posteriormente o Prêmio Nobel. A proposta de conceder a comenda ao professor da UnB foi feita por renomados sociólogos e juristas alemães. Destacou-se como justificativa para a concessão do prêmio ao acadêmico brasileiro a sua influência no pensamento sociológico e jurídico alemão na últimas três décadas.

A Fundação considerou que Neves teve influência fundamental nas transformações do pensamento do sociólogo alemão Niklas Luhmann nos anos 1990, ao enfatizar o problema da exclusão e os limites da diferenciação funcional nos países periféricos. O impacto e o caráter inovador de seus estudos sobre transconstitucionalismo, constitucionalização simbólica e Estado Democrático de Direito também serviram à justificação da outorga do prêmio.

Destacam-se entre os premiados, Carlo Ginzburg e Londa Schiebinger, no campo das ciências sociais; os ganhadores do Prêmio Nobel de Química, Robert Grubbs, Richard R. Schrock, John B. Fenn e Ahmed Zewail; os ganhadores do prêmio Nobel de Física Roy J. Glauber, Theodor Hänsch, John Lewis Hall e Robert Hofstadter.

O Prêmio é no valor de 60.000 Euros e dá direito de permanência financiada na Alemanha de 4 meses a um ano, com ampla mobilidade para visitas a diferentes universidades e institutos de pesquisa.

Deixe um comentário