Para Vigilante, Rollemberg quer mexer em vespeiro

O governador Rodrigo Rollemberg mexeu num vespeiro ao determinar que o Grupo de Ações Integradas de Controle – liderado pelo chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, e pelo controlador-geral do DF, Henrique Ziller – investigue denúncias de ex-executivos da Odebrecht de supostos pagamentos de propinas em quatro obras realizadas por governos anteriores.

PT

Na segunda (15), a Executiva do PT-DF divulgou nota duríssima em defesa do ex-governador Agnelo Queiroz e do ex-deputado Geraldo Magela, que atuaram nas obras do estádio Mané Garrincha, do Centro Administrativo, do BRT Sul e do Setor Habitacional Jardins Mangueiral.

PSB

A resposta do PSB de Rollemberg veio no mesmo tom: “impressiona a forma como a atual direção petista tenta enganar a população. A declaração de que o PT é o maior interessado no esclarecimento das denúncias de corrupção relacionadas à Lava Jato beira à desonestidade”, diz a nota dos socialistas.

Vigilante

Vice-presidente local do PT, o deputado Chico Vigilante disse ao Brasília Capital que o governo está perdendo dinheiro à medida que não coloca para funcionar estruturas como o Centro Administrativo e o Mané Garrincha.

Desenvolvimento

“O Centrad não é um projeto de governo, é um projeto de estado. Dentre as coisas que o ex-governador Arruda acertou, está a criação do centro administrativo como fator de desenvolvimento de Samambaia, Ceilândia e Taguatinga, as áreas de maior necessidade da criação de emprego no DF”.

Fluxo

Segundo Vigilante, à medida que essas obras estão centralizadas, a iniciativa privada vai se aproximar daquelas áreas e investir. Além de gerar empregos, vai diminuir o fluxo de veículos para o Plano Piloto.

Alugueis

O deputado avalia que a ocupação do Cetrad traria economia para os cofres públicos. “O governo deixaria de pagar alugueis, que hoje são pulverizados por todo o DF. E, após 30 anos, toda a estrutura será da população do DF”.

PPPs

“Rollemberg fala tanto de parcerias público-privadas e é incapaz de operar uma já existente. À medida que ele não opera aquela, quem vai acreditar que ele fará outras?”, questiona.

Mané

“Sobre o estádio, ele diz que é o mais caro do mundo. Mas, naquele complexo esportivo, cultural e comercial, vai-se até se jogar bola, porque aquilo ali não foi feito para isso. Lá existe estrutura para a montagem de hotéis, shopping, supermercado, centro de convenções. E está tudo pronto! Portanto, o que ele deveria fazer era passar todo o complexo para a iniciativa privada. Toda a gleba de terra, não é só o estádio”.d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário