O até breve de Joe Valle

Presidente fez apresentação para jornalistas e servidores. Foto: Orlando Pontes
Foto: Orlando Pontes

Poucas horas antes de entrar no plenário como presidente da Câmara Legislativa pela última vez na atual legislatura, o deputado Joe Valle (PDT) convocou uma coletiva de imprensa para fazer um balanço de seu trabalho nesses dois anos. Cercado de assessores,a maioria servidores concursados de carreira, reforçou a imagem de transparência de sua gestão e o empenho em melhorar a participação popular nas atividades Casa.

O distrital não concorreu a cargo eletivo em 2018. Joe começou o ano como pré-candidato ao Senado e chegou a ser cotado para disputar a sucessão do governador Rodrigo Rollemberg. Mas os desencontros internos de seu partido e a falta de alianças com outras agremiações acabaram fazendo com que ele ficasse fora da campanha.

Durante a conversa com jornalistas na manhã de quinta-feira (13), o presidente da Câmara disse que aproveitará os próximos anos para ficar mais com a família e cuidar dos negócios. Como cidadão, observará, à distância, o cenário político.Porém, admitiu que não se afastará do processo. Estará à disposição dos amigos e do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) para colaborar com a experiência acumulada no Parlamento e no Executivo, onde atuou como secretário de Estado.

“Não posso”, respondeu Joe ao ser questionado se pretendia ficar distante da política. E emendou dizendo que apresentará seu nome na eleição de 2022, embora sem revelar que cargo pretende disputar. “Política tem fila, tem rito e tem gesto”, filosofou, confirmando que participou da escolha do correligionário Léo Bijos para a Secretaria da Juventude e que é amigo do futuro secretário de Agricultura, Dilson Resende. “A gente tem time”, vangloriou-se.

 Ressignificação – Durante uma hora e meia, Joe se revezou com os assessores na exposição de um power point mostrando as conquistas da Câmara Legislativa durante sua passagem pela presidência. Destacou o programa Câmara em Movimento, que aproximou a Casa da população das cidades do DF, e a economia de R$ 60 milhões no Orçamento de 2018. Esclareceu que o gasto só não foi menor porque a Casa assumiu, a partir deste ano, as despesas previdenciárias de seus servidores,até então bancadas pelo caixa do GDF.

 “Buscamos a ressignificação da Câmara. Nossa meta era fazer a Casa voltar a ser valorizada e respeitada pelo povo. Por isso buscamos atuar com total transparência, fazendo com que os cidadãos participem e interajam do dia a dia do Parlamento, presencialmente ou por meio de ferramentas digitais”, disse Joe Valle, deixando no ar um pedido à imprensa: “divulguem as nossas ferramentas de participação popular”.

Pelos dados apresentados por ele, mais de 60 mil brasilienses estiveram na Câmara nos primeiros dez meses de 2018, participando de atividades como exposições, audiências públicas, seminários e congressos, além de 10 mil jovens estudantes em caravanas escolares.

One Response

  1. Só legislou para os que tem dinheiro. Esqueceu dos menos afortunados.

Deixe um comentário