GDF estuda criar agência de promoção de investimentos

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, foi o coordenador da reunião. Foto: Lorrane Oliveira/Brasília Capital

Representantes de cinco secretarias, da Casa Civil e do Escritório de Assuntos Internacionais do Distrito Federal debateram, quarta-feira (15), a criação de uma agência de promoção, voltada para a captação de negócios para o DF. O objetivo é criar um instrumento legal de facilitação dos investimentos nacionais e internacionais na capital.

Um contrato de 2014, entre o GDF e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 71 milhões (R$ 296 milhões) prevê a criação da agência. Os recursos destinam-se a obras de infraestrutura – pavimentação, drenagem e ciclovias – nas 30 Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs) do DF.

A previsão para 2020, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, é receber quase R$ 1 bilhão em investimentos. Três empresas devem finalizar as negociações para se instalar até o fim do ano: CAB Motors (R$ 200 milhões), uma filial do hospital MD Anderson (R$ 400 milhões) e outra da farmacêutica EMS (R$ 300 milhões).

Coordenador da reunião, Coutinho afirmou que o planejamento é uma estrutura de até 20 funcionários. Até o próximo encontro, previsto para o dia 5 de fevereiro, a Pasta receberá sugestões dos participantes e apresentará um esboço do projeto de lei que deve ser encaminhado à Câmara Legislativa.

Deixe um comentário