Futebol Candango: Desde 1959

Visualização da imagem
Grêmio Brasiliense foi o primeiro campeão, antes mesmo da inauguração da cidade. Foto: História do futebol

O futebol chegou a Brasília junto com os primeiros operários que vieram construir a nova Capital. Em 1959, um ano antes da inauguração da cidade, foi organizado o primeiro campeonato loca, cujo campeão foi o extinto Grêmio Esportivo Brasiliense, do Núcleo Bandeirante, time formado em sua maioria por funcionários do Departamento de Viação e Obras (DVO), da Novacap.

Quando os primeiros trabalhadores chegaram ao “Quadradinho” para iniciar as obras atendendo ao chamado do presidente Juscelino Kubitschek, o futebol era uma das poucas opções de lazer dos candangos. Das peladas, surgiram os primeiros times, geralmente formados por funcionários das construtoras e dos órgãos públicos.

Vila Planalto era o destaque

A histórica Vila Planalto, que era formada por diversos acampamentos de trabalhadores, foi onde o futebol de Brasília mais brilhou na década de 60. Dentro do Departamento de Força e Luz (DFL), surgiu um dos primeiros e mais fortes times da época, que sagrou-se tricampeão (1960-61-62).

O Defelê hoje não existe mais como time profissional, mas dá nome ao estádio da Vila Planalto, sede Real Brasília, que disputa a Primeira Divisão do Candangão e é um dos dois representantes do DF na quarta divisão do Campeonato Brasileiro.

Visualização da imagem
Na reinauguração do estádio Defelê, o Real Brasília homenageou alguns nomes históricos do futebol do DF, entre eles, Marreta, que foi massagista do Defelê três campeão candango. Foto: Divulgação

Após a série de três títulos do Defelê, a hegemonia da Vila Planalto foi interrompida em 1963 pelo Cruzeiro do Sul. Mas no ano seguinte surgiu a forte equipe da construtora Rabello, tetracampeã 1964-65-66-67), quando aconteceu a primeira tentativa, sem sucesso, de profissionalização do futebol local.

Com a diminuição do ritmo das obras no Plano Piloto, os times das construtoras foram perdendo força, e assim começaram a surgir equipes que representavam as cidades-satélites, como o Gama, Sobradinho e Taguatinga.

Veja os campeões da era amadora do futebol brasiliense

● 1959 – Grêmio

● 1960 – Defelê

● 1961 – Defelê

● 1962 – Defelê

● 1963 – Cruzeiro do Sul

● 1964 – Rabello

● 1965 – Rabello

● 1966 – Rabello

● 1967 – Rabello

● 1968 – Defelê

● 1969 – Coenge

● 1970 – Grêmio

● 1971 – Colombo

● 1972 – Serviço Gráfico

● 1973 – Ceub

● 1974 – Pioneira

● 1975 – Campineira

Time do Defelê em 1960, campeão brasiliense. Foto: História do futebol

Brasília, cidade de grandes atletas

Além do futebol, esporte em que Brasília revelou craques como Lúcio e Kaká, campeões do mundo em 2002 com a seleção brasileira, a capital também contribuiu com grandes nomes em diversas modalides. Lembre alguns deles:

Oscar Schmidt

O brasiliense é considerado o maior jogador de basquete da história do Brasil e está no Hall da Fama Americano, mesmo sem nunca ter jogado na NBA dos EU. O “Mão Santa”, como era conhecido, foi o maior cestinha da história do esporte: 49.737 pontos.

Nelson Piquet

Um dos maiores pilotos da história da Fórmula 1, Nelson Piquet conquistou o título por três vezes e também é lembrado por uma das maiores ultrapassagens de todos os tempos, quando passou pela lado de fora em uma curva fechada do circuito de Hungaroring, na Hungria em 1986, em cima do lendário compatriota Ayrton Senna. Hoje ele dá nome ao autódromo de Brasília.

Joaquim Cruz

Nascido em Taguatinga, conquistou a medalha de ouro nos 800m de atletismo em 1984 nos Jogos Olímpicos de Los Angeles; e nos 1.500m nos Pan-americanos de Indianápolis, em 1987; e de Mar Del Plata, em 1995. Ele inda ganhou a medalha de prata nas Olimpíadas de Seul, em 1988.

Paula Pequeno

Nascida em Brasília, Paula Pequeno foi duas vezes campeã olímpica com a seleção feminina de vôlei (2008, em Pequim, e em 2012, em Londres). Foi eleita melhor jogadora de vôlei em 2005 e 2008, e a única brasileira a ganhar o prêmio de melhor jogadora em jogos olímpicos (2008).

Deixe um comentário