Edital do novo leilão do 4G prevê arrecadação mínima de R$ 7,7 bilhões

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta quinta-feira (21) o edital do leilão que vai permitir a expansão do serviço de internet de quarta geração (4G), que pode ser acessada em smartphones e tablets. O leilão está marcado para 30 de setembro e pretende arrecadar, no mínimo, R$ 7,7 bilhões.

O 4G é sucessor do 3G e também é chamado de banda larga móvel, já que as velocidades alcançadas são as mesmas da maioria dos acessos domésticos de internet atuais. Enquanto a tecnologia 3G, de internet móvel de terceira geração, alcança velocidades de até 21 Mbps (megabits por segundo), o 4G pode alcançar até 100 Mbps, sendo que a média de velocidade fica entre 50 Mbps. Isso significa que os usuários do 4G podem acessar mapas, carregar dados e imagens rapidamente, de forma quase instantânea.

Para ampliar a oferta dessa internet mais rápida, o governo vai oferecer a empresas “pedaços” ou lotes da frequência de 700 MHz. As frequências são como estradas. Cada serviço trafega em uma faixa. Alguns países, como os Estados Unidos, também decidiram usar essa frequência porque ela exige menor quantidade de antenas para cobertura de sinal. O 4G em funcionamento hoje no Brasil opera na faixa de frequência de 2,5 GHz.

A faixa que vai ser leiloada para o 4G é próxima da usada pela TV digital, o que provoca interferências. A mudança preocupa o setor de radiodifusão porque um serviço pode interferir no outro.

Fonte:

Deixe um comentário