Deus e nós

Criado para ser feliz, mas sem as asas do amor e da sabedoria, condições essenciais para se atingir esses  objetivos, peregrina o homem por variadas experiências até que amadureça e torne-se um consciente colaborador do Criador, estimulado ora pelos ensinamentos dos missionários enviados à terra, ora pela dor que lhe desperta as potências divinas, segundo ensinamentos de grandes mestres.

Inicialmente, exige-se dele três qualidades: boa vontade, sinceridade nas relações e solidariedade. Sem a boa vontade que o levará às demais  conquistas, o “remédio” preferencialmente indicado será a dor que poderá provocar revolta, mas que pouco a pouco o acordará para subir a montanha da elevação própria, dando voltas, até que possa contar com a companhia de um Mestre que o ajudará a subir em linha reta até o topo, segundo entendimento de Anne Besant, da Sociedade Teosófica, e do Mestre desencarnado Ramatis. Esse Mestre poderá ser encarnado ou desencarnado. No caso de Pietro Ubaldi, autor de “A Grande Síntese”, era desencarnado, e ele o chamava de “Sua Voz”.

Quanto mais ignorância, mãe de todos os males, mais infelicidade. Quanto mais sabedoria e amor, mais felicidade. Cada um atrairá as experiências necessárias para cada momento dentro das três leis fundamentais da vida: Lei do Progresso, Lei de Solidariedade e Lei de Retorno.

 

Fonte:

Deixe um comentário