Desfiles das escolas de samba de SP começam nesta sexta; veja enredos

 
 
 
Detalhes de carros alegóricos das escolas de samba estacionados no Sambódromo do Anhembi (Foto: Amanda Perobelli/Estadão Conteúdo)

Os desfiles de carnaval do Grupo Especial de São Paulo começam nesta sexta-feira (24) com a apresentação de sete escolas de samba no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, com transmissão ao vivo pela TV Globo e pelo G1. Os portões serão abertos às 19h e os desfiles começam às 23h15.

A Tom Maior será a primeira escola a desfilar. Em seguida se apresentam Mocidade Alegre, Unidos de Vila Maria, Acadêmicos do Tatuapé, Gaviões da Fiel, Acadêmicos do Tucuruvi e Águia de Ouro. No sábado (25), outras sete escolas vão desfilar.

Entre os enredos que serão apresentados nesta sexta estão homenagens à cantora Elba Ramalho (Tom Maior), aos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida (Vila Maria) e à própria escola de samba (Mocidade Alegre). Tem ainda declaração de amor à África (Tatuapé), aos migrantes de São Paulo (Gaviões), aos artistas de rua (Tucuruvi) e aos animais de estimação (Águia).

As escolas serão julgadas nos seguintes quesitos: bateria, harmonia, evolução, samba enredo, mestre-sala e porta-bandeira, comissão de frente, alegoria, enredo e fantasia. Este ano, serão 36 jurados que vão pela primeira vez julgar o carnaval de São Paulo.

Conheça os sambas-enredos e destaques de cada escola:

23h15 – Tom Maior

 
 

O carnaval de São Paulo vai abrir com o ‘tum tum tum bate coração’ das canções de Elba Ramalho, que dá enredo à Tom Maior. A escola repete a fórmula que deu certo em 2016, quando homenageou outro mestre da MPB, Milton Nascimento, e subiu.

Segunda colocada no Grupo de Acesso em 2016 com um enredo sobre Milton Nascimento, a escola de samba Tom Maior aposta em outro grande nome da MPB para brilhar no sambódromo do Anhembi. O enredo este ano vai contar trajetória da cantora Elba Ramalho. A escola da Zona Oeste vai abrir a primeira noite de desfiles no Sambódromo do Anhembi.

“A Tom Maior vai retratar a maior interprete da música popular brasileira, cantando em oração a alegria e a tristeza do povo sertanejo que é a nossa querida, Elba Ramalho”, diz o carnavalesco Cláudio Cebola.

Cantora Elba Ramalho é homenageada em enredo da escola Tom Maior

  • Samba-enredo: ‘Elba Ramalho canta em oração o folclore do Nordeste. Toque sanfoneiro forró, frevo e xaxado’
  • Presidente: Luciana Silva
  • Carnavalesco: Cláudio Cebola
  • Diretor de bateria: Mestre Carlão
  • Intérprete: Bruno Ribas
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Jairo e Simone
  • Rainha de bateria: Pâmella Gomes
  • Madrinha de bateria: Andreia Gomes
  • Número de componentes: 2.500
    FIQUE DE OLHO: Elba Ramalho vai participar do desfile e promete surpreender o público

00h20 – Mocidade Alegre

 

A Mocidade Alegre comemora este ano o seu Jubileu de Ouro. A escola do bairro do Limão, na Zona Norte de São Paulo, é uma das mais premiadas do Grupo Especial, com 10 títulos de campeã do carnaval paulistano, e vai homenagear, em seus 50 anos, a própria comunidade com um enredo que fala da força que vem da união.

O enredo da Mocidade Alegre é uma frase que fundamenta a escola: “A vitória vem da luta, a luta vem da força e a força da união.” Então, trabalharemos esse enredo pra 2017. “A gente resolveu trabalhar os valores, os valores que fundamental a morada do samba. O nosso grande destaque vai ser a nossa comunidade, a comunidade que vai passar toda essa emoção de celebração que a gente espera conseguir dentro do desfile da escola.”

Mocidade Alegre comemora 50 anos e presta homenagem à própria comunidade

  • Samba-enredo: ‘A vitória vem da luta. A luta vem da foraça. E a força… da união’
  • Presidente: Solange Bichara
  • Carnavalescos: Carlos Lopes, Leandro Vieira, Neide Lopes e Paulo Brasil
  • Diretor de bateria: Mestre Sombra
  • Intérpretes: Tiganá e Ito Melodia
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Emerson e Karina
  • Rainha de bateria: Aline Oliveira
  • Número de componentes: 3.500
  • FIQUE DE OLHO: A escola vai fazer referências a guerreiros históricos e uma grande homenagem a seu Jubileu de Ouro

01h25 – Unidos de Vila Maria

 

A Unidos de Vila Maria levará pro Anhembi um enredo sobre os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida. O enredo foi apresentado pela escola para a Arquidiocese de São Paulo há dois que deu seu aval e fez algumas solicitações, como a troca da palavra “adorando” por “venerando” na letra do samba e a orientação para que as fantasias das chamadas musas da escola, incluindo as da madrinha de bateria, não tenham apelos eróticos.

O enredo é muito especial para quem tem a fé e o samba guardados no fundo do peito. “Desde 1717, quando essa imagem foi achada dentro do Rio Paraíba do sul por três pescadores, até os dias atuais, 2017, quando celebraremos, na Basílica de Aparecida, uma nova era de paz”, diz o carnavalesco Sidnei França.

O carnavalesco explica que a escolha por não ter nudez no desfile é em respeito à Igreja. “O que a gente está procurando é não ter sensualidade exacerbada, um culto ao copo. Houve um entendimento de que este era um carnaval especial, diferenciado.”

Nossa Senhora Aparecida é tema do enredo da Unidos de Vila Maria

  • Samba-enredo: ‘Aparecida – A rainha do Brasil. 300 anos de amor de fé no coração do povo brasileiro’
  • Presidente: Adilson José
  • Carnavalesco: Sidnei França
  • Diretor de bateria: Mestre Moleza
  • Intérprete: Clóvis Pê
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Edgar e Laís
  • Rainha de bateria: Dani Bolina
  • Número de componentes: 4.000
  • FIQUE DE OLHO: O desfile contará com a presença do cantor Daniel, devoto de Nossa Senhora, e da atriz Isabel Fillardis representando a Mãe Negra.

02h30: Acadêmicos do Tatuapé

Atual vice-campeã do carnaval de São Paulo, a Acadêmicos do Tatuapé, escola da Zona Leste da capital paulista, escolheu exaltar o povo africano para tentar não ficar no quase mais uma vez. Em 2016, três décimos separaram a agremiação daquele que seria o primeiro título do Grupo Especial de sua história – o troféu acabou ficando com a Império de Casa Verde.

De acordo com o presidente da escola, Eduardo dos Santos, a Acadêmicos do Tatuapé vai mostrar “uma África festiva” no Sambódromo em 2017. “Não tem tristeza, não tem lamento. Nós vamos fazer uma exaltação ao povo mais feliz e alegre do planeta”, afirmou ele.

A escola é a única do carnaval de São Paulo que tem um rei em vez de uma rainha de bateria. O professor de dança Daniel Manzioni será um líder africano em sua representação na avenida.

Enredo da escola Acadêmicos do Tatuapé fala sobre a mãe África

  • Samba-enredo: ‘Mãe África conta sua história: do berço sagrado da humanidade ao abençoado Menino da Terra de Ouro’
  • Presidente: Eduardo Santos
  • Carnavalesco: Flávio Campello
  • Diretor de bateria: Mestre Higor
  • Intérprete: Celsinnho Mody
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Diego e Jussara
  • Rainha de bateria: Andrea Capitulino
  • Número de componentes: 3.200
  • FIQUE DE OLHO: Empolgada pelo ótimo desempenho em 2016, a escola investiu nas fantasias e alegorias para tentar levar o título este ano.

03h35: Gaviões da Fiel

 

A Gaviões da Fiel vai homenagear o amor dos migrantes que foram fazer a vida em São Paulo com o enredo “Com as mãos e a guerra de um povo sonhador, surge o contraste de uma nova metrópole – Sampa, lugar de sonhos, oportunidades e esperança”.

“É uma grande homenagem, uma grande história, carregada de sentimento”, explica o carnavalesco Zilkon Reis. “São Paulo sempre será essa cidade da esperança, do futuro, da oportunidade e de todas essas pessoas que sonham com algo melhor para você.”

A Gaviões da Fiel vai ter seis alas coreografadas no desfile de carnaval. Os integrantes ensaiam três vezes por semana para fazer bonito no Sambódromo do Anhembi.

Escola Gaviões da Fiel vai falar sobre a garra dos migrantes que ergueram SP

  • Samba-enredo: ‘Com as mãos e a garra de um povo sonhador, surge o contraste de uma nova metrópole Sampa, lugar de sonhos, oportunidades e esperança’
  • Presidente: Eduardo Santos
  • Carnavalesco: Zilkson Reis
  • Diretor de bateria: Mestre Pantchinho
  • Intérprete: Ernesto Teixeira
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Wagner e Adriana
  • Rainha de bateria: Tati Minerato
  • Número de componentes: 3.000
  • FIQUE DE OLHO: Alas vão homenagear nordestinos, cariocas e mineiros que vieram trabalhar em São Paulo.

04h40: Acadêmicos do Tucuruvi

A Acadêmicos do Tucuruvi, da Zona Norte de São Paulo, levará para o desfile das escolas de samba do carnaval 2017 homenagem aos artistas de rua. Serão quase três mil integrantes durante o desfile na avenida. Entre os homenageados estão os malabarista de semáforo e os cantores de calçada.

“Esse ano, a Acadêmicos do Tucuruvi vai fazer homenagem à arte de rua em todas as suas vertentes. Essa nova expressão que vem contagiando o mundo inteiro”, disse o carnavalesco da escola, Wagner Santos. Com 40 anos de história, a Acadêmicos do Tucuruvi tem esperança de ganhar o primeiro título no carnaval de 2017.

Enredo da escola Acadêmicos do Tucuruvi fala sobre a arte de rua

  • Samba-enredo: ‘Eu sou a arte: meu palco é a rua’
  • Presidente: Hussein Abdo El Selam, o ‘seo’ Jamil
  • Carnavalesco: Wagner Santos
  • Diretor de bateria: Mestre Guma Sena
  • Intérprete: Alex Soares
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: Kawan e Waleska
  • Rainha de bateria: Daniela Albuquerque
  • Número de componentes: 3.000
  • FIQUE DE OLHO: A escola terá o casal mais jovem de porta-bandeira e mestre-sala dentre as escolas. Waleska Gomes tem 24 anos e Kawan Alcides, 20. Eles dançam desde a infância.

05h45: Águia de Ouro

 

A escola de samba Águia de Ouro vai homenagear os cães em seu enredo no carnaval 2017. A agremiação da Pompeia, Zona Oeste de São Paulo, vai cantar o enredo ‘Amor com amor se paga – Uma história animal’.

“Traremos o animal mais próximo do ser humano como o grande protagonista da história”, explica o carnavalesco Amarildo de Melo. A escola terá a representação de cães famosos do desenho animado e do cinema.

Águia de Ouro vai apresentar enredo ‘Amor com amor se paga! Uma história animal’

  • Samba-enredo: ‘Amor com amor se paga. Uma história animal’
  • Presidente: Sidnei Carriuolo Antônio
  • Carnavalesco: Amarildo de Mello
  • Diretor de bateria: Mestre Juca
  • Intérprete: Douglinhas Aguiar e Fernandinho SP
  • Mestre-sala e porta-bandeiras: João Carlos e Ana Paula
  • Rainha de bateria: Cinthia Santos
  • Número de componentes: 3.000
  • FIQUE DE OLHO: A escola terá a participação de ativistas da causa de defesa dos animais, como a apresentadora Luísa Mell e a modelo Fernanda Tavares.