Celebridade fugaz

“Eu tirava os cachos de flores da tulipeira, como chamava a árvore lá de casa, pra brincar de “guerra de xixi de macaco”. Mas para pegar a minha arma eu tinha que subir no muro e pular, pular muito bem. Errei! Sim, foi num desses saltos que fiz as contas erradas e saltei direto com a cara no chão. Puft!!! Braço quebrado, nariz triplicado de tamanho e um arrependimento que tenho até hoje. Pelo menos quando voltei do hospital tinha virado celebridade. A vizinhança inteira tava lá em casa pra me ver. Ou seria pra ver o estrago? Ainda prefiro achar que estavam preocupados comigo. Assim me sinto uma celebridade fugaz!”. (Baseado na leitora Alessandra Aguiar – Ceilândia/DF)


Relato de uma prostituta


Chuva de doces


De olho na fartura


 

Fonte:

Deixe um comentário