Brasília começa testar vacina contra a covid-19

Estudo no DF é liderado pelo médico Eduardo Freire Vasconcellos, do L-2 IP.
Foto: Hugo Barreto/Metropoles

No dia em que o Distrito Federal atingiu a marca de 3 mil óbitos e 179.823 contaminados pela covid-19, um centro de pesquisas local anuncia a chegada da vacina contra o novo coronavírus à capital da República.

Na quarta-feira (16), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o início da terceira e última fase de testes da vacina produzida pela Janssen – braço farmacêutico da Johnson & Johnson.

A vacina já passou por duas etapas de estudo e foi aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP).

Em Brasília, serão aplicadas, inicialmente, 800 doses em quatro grupos de pacientes. Num primeiro momento serão vacinados jovens e saudáveis. Em todo o País serão 7 mil voluntários. Os testes começam em 1º de outubro.

L-2 IP – O estudo no DF é liderado pelo médico Eduardo Freire Vasconcellos, do L-2 IP – Instituto de Pesquisas Clínicas. Em todo o mundo, 60 mil pessoas receberão a vacina Janssen com vetor viral recombinante.

Além do Brasil, o estudo ocorre em mais oito países (EUA, Canadá, México, Colômbia, Argentina, Chile, África do Sul, Bélgica e Filipinas).

No Brasil, ela também será testada em voluntários de Santa Maria e Porto Alegre (RS); Florianópolis (SC); Curitiba (PR); Campinas, São José dos Campos e São Paulo (SP); Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Natal (RN) e Cuiabá (MS).

“Nossa expectativa, se tudo correr bem, é de que os dados estejam disponíveis para as autoridades de saúde a partir de fevereiro. Aí, será uma questão de superar as barreiras burocráticas para a vacina começar a ser produzida em larga e escala e ser colocada à disposição da população”, diz o doutor Eduardo Freire Vasconcelos.

A equipe do L-2 IP – Instituto de Pesquisas Clínicas para acompanhamento dos testes da terceira etapa da vacina da Janssen é formada por 23 profissionais, sendo 7 médicos, 5 coordenadores, 4 enfermeiros 2 farmacêuticos, 1 biomédica e 4 pessoas de apoio.

No Brasil, os estudos da vacina são coordenados pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro. Em Brasília, quem quiser se apresentar como voluntário para tomar a vacina pode se inscrever pelo site www.l2ip.org.

Sinovac – Também já está sendo testada no DF a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. Os estudos são feitos pela Universidade de Brasília (UnB) e pelo Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Mortes – Das 3 mil vítimas fatais da covid-19 no DF, 246 residiam em outras unidades da Federação. De acordo com a Secretaria de Saúde, desde o início da pandemia, 168.753 contaminados (93,8%) se recuperaram da covid-19 no DF.

Deixe um comentário