Bolsonaro, o carteiro

Durante a solenidade de assinatura da lei que cria a Empresa Simples de Crédito (ESC), quarta-feira (24), no Palácio do Planalto, uma cena passou despercebida da maioria dos convidados. Representando o Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal, a empresária Bernardeth Martins se aproximou de Jair Bolsonaro e, ao cumprimentá-lo, entregou-lhe uma carta. Mas a mensagem não era dirigida ao presidente da República, e sim à primeira-dama, Michele Bolsonaro.


Empresária Bernardeth Martins
Arquivo pessoal

A criação da ESC é uma tentativa do governo de facilitar o acesso ao crédito produtivo para as micro e pequenas empresas e para os microempreendedores individuais. Já o pedido na carta a Michele é para que a primeira-dama abra as portas do Planalto para um desfile de crianças deficientes e com síndrome de Down. Bernardeth é proprietária da loja Ciranda Cirandinha e promove regularmente este tipo de evento inclusivo.

Ao Brasília Capital a empresária disse que o sonho de realizar o desfile na sede do Executivo nacional é para mostrar a todo o país que as crianças com deficiências têm os mesmos direitos de todos os cidadãos brasileiros.

Não sei se foi no susto, mas o presidente pegou a carta, colocou no bolso e me disse que a entregaria à primeira-dama”, disse a representante do Sindivarejista-DF. “Estou otimista e ansiosa pela resposta da dona Michele”, completou.


A empresária Bernardeth Martins se aproximou de Jair Bolsonaro e, ao cumprimentá-lo, entregou-lhe uma carta
Arquivo pessoal

Deixe um comentário