BNDES lança programa de R$ 3 bilhões para estimular mercado de capitais

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou ontem (14) o Programa Multissetorial de Fundos e do Programa de Apoio a Ofertas Públicas em Mercado de Acesso, que prevê investimentos de R$ 3 bilhões, para estimular fundos que compram participações em empresas e também as ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) de companhias de médio porte.

Segundo nota divulgada pela empresa na internet, a diretoria do banco aprovou dois programas de apoio ao mercado de capitais brasileiro, com foco no desenvolvimento da indústria de venture capital e private equity e no acesso de empresas à Bolsa de Valores.

Os recursos contemplarão investimentos do BNDES por meio de fundos e de forma direta, no momento do IPO de empresas de menor porte.

Saiba mais sobre o programa

O BNDES investirá R$ 2 bilhões em até 12 fundos de private equity e venture capital nos próximos dois anos. Estes recursos poderão alavancar até R$ 10 bilhões em investimentos em cerca de 90 empresas, buscando seu crescimento e melhoria de sua estrutura de gestão e governança.

Os investimentos serão realizados pela BNDESPAR, subsidiária integral do BNDES, mediante quatro chamadas públicas semestrais que ocorrerão em 2014 e 2015. O lançamento do edital da primeira chamada está previsto para as próximas semanas.

O processo das chamadas públicas envolverá a seleção de propostas de fundos de investimento de diversos setores e naturezas, a serem submetidas ao BNDES pelos respectivos gestores. Nos critérios de avaliação das propostas serão observados a política de investimentos do fundo, o histórico de atuação do gestor na indústria de fundos e a qualificação da equipe de gestão.

As chamadas, por serem semestrais, oferecerão previsibilidade ao mercado para submeter suas propostas ao BNDES, que serão selecionadas de acordo com as prioridades do Banco.

A iniciativa de chamadas sistemáticas visa a induzir a entrada de novos investidores no mercado, alavancando recursos para investimentos, além de viabilizar a estruturação de produtos pioneiros no mercado nacional, fortalecendo a indústria brasileira de private equity e venture capital.

Mercado de Acesso

O Programa BNDES de Apoio a Ofertas Públicas em Mercados de Acesso vai investir até R$ 1 bilhão em ofertas públicas de empresas brasileiras no mercado de acesso.  A BNDESPAR poderá atuar como investidor-âncora, concedendo garantia firme de subscrição em até 20% da oferta, observados determinados requisitos, como a realização de oferta majoritariamente primária.

Além disso, o BNDES fará uma chamada pública específica para seleção de gestor para o pioneiro Fundo de Investimento para o Mercado de Acesso. O fundo, que poderá ter 30% de participação do BNDES, visa alcançar R$ 250 milhões de patrimônio e atuará tanto no pré-IPO como após a abertura de capital da empresa, auxiliando na liquidez dos papéis negociados. Poderão ser apoiadas empresas que assumam o compromisso de serem listadas e negociadas no Mercado de Acesso.

Essas duas iniciativas de apoio ao mercado de acesso foram idealizadas para contribuir com o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro, tornando-o acessível a um número maior de empresas que pretendam realizar ofertas iniciais de ações com valores menores do que os comumente observados no país.

Adicionalmente, o BNDES incentiva a listagem de empresas de sua carteira no Bovespa Mais, atualmente o único segmento estruturado para o mercado de acesso no Brasil. Nos últimos dois anos, a BNDESPAR teve participação ativa em seis listagens e em um IPO no Bovespa Mais.

Desenvolvimento Institucional

O BNDES foi um dos agentes pioneiros na indústria de fundos de investimento em private equity e venture capital no Brasil, tanto na alocação de recursos, como na contribuição aos marcos legais da indústria e na formulação de produtos inovadores.

Atualmente, o BNDES está entre os maiores investidores brasileiros da indústria de private equity e venture capital nacional, com capital comprometido de R$ 2,5 bilhões em 34 fundos, que permitiram alavancar cerca de R$ 10 bilhões em investimentos. São mais de 160 empresas investidas em 20 unidades da Federação.

Na atuação em capital semente e venture capital nacional, o Banco destaca-se como o maior investidor do país, com uma carteira de mais de 100 pequenas e médias empresas de base tecnológica, em setores como tecnologia da informação, novos materiais, biotecnologia e nanotecnologia.

O Banco participa do Comitê Técnico de Ofertas Menores, formado por agentes do mercado de capitais, investidores, companhias e intermediários, visando o desenvolvimento do mercado de acesso no Brasil. Dentre as propostas apresentadas e com implementação em curso, destacam-se a atração de novos investidores, ajustes regulatórios nos fundos de investimento, redução de custos e simplificação do processo de oferta.

Fonte:

Deixe um comentário