Artigo: Só a lei não chama de campanha

O Brasília Capital esteve presente em eventos com quatro presidenciáveis na última semana. Consolidando a imagem de veículo independente, a página do Facebook transmitiu ao vivo os encontros de todos os pré-candidatos. O que se viu em Brasília na semana que passou dispensa o uso do prefixo “pré” exigido judicialmente para definir o atual momento político. A campanha eleitoral definitivamente começou. A análise que lerás agora é totalmente imparcial.

Amoêdo – Terça-feira (12), no Setor de Armazenagem e Abastecimento (SAAN), o Novo lançou, para 600 presentes, uma parte do que será visto nas urnas em outubro de 2018. Frases como: “não usamos dinheiro público” e “os candidatos passam por árduo processo seletivo” são como mantras para os integrantes da sigla.

Alexandre Guerra, pré-candidato ao GDF, é herdeiro da rede Giraffas e terá que aprender com seu correligionário Paulo Roque, advogado e pré-candidato ao Senado, como empolgar seus eleitores. Já João Amoêdo, postulante à Presidência da República, não faz discurso, mas sim apresentações. Como um empresário que pretende fazer negócios, ele utiliza power point para guiar suas palavras.

A transmissão ao vivo de Amoêdo teve 300 visualizações até o fechamento desta edição.

Alckmin – Quarta-Feira (13), o recém-eleito presidente do PSDB estava em Brasília, na sede do PSDB Nacional (607 Sul), para tratar da Reforma da Previdência e não – até onde se sabe – de eleições.

Entretanto, Geraldo Alckmin não nega que será o candidato do partido ao Planalto. Ele transborda experiência em lidar com a imprensa. Nem sequer titubeia ao responder às perguntas dos jornalistas que babam por uma declaração polêmica. Mas a nítida falta de carisma pode o prejudicar.

A transmissão ao vivo de Alckmin teve 280 visualizações até o fechamento desta edição.

Bolsonaro – Quarta (13), no Clube de Oficiais da PM, Jair Bolsonaro (PSC) foi recebido por Alberto Fraga (DEM) e aproximadamente duzentas pessoas, em sua maioria militares. O mito, como o chamam seus apoiadores, mantém postura ereta durante pronunciamentos de seus companheiros.

Com um comportamento que foge ao padrão atribuído a ele, Bolsonaro foi comedido ao falar de seus adversários. Foi propositivo, ressaltou a segurança pública e garantiu que seu ministro da Defesa seria um general. Também disse que se depender dele, seu velho amigo Fraga será governador de Brasília. Bolsonaro não falou com a imprensa e parece forçado a ser simpático e posar para selfies.

A transmissão ao vivo de Bolsonaro teve 19 mil visualizações até o fechamento desta edição.

Lula – Aproveitando-se da data (13 de dezembro), faixas foram espalhadas na cidade para informar sobre o evento que aconteceu no Sindicato dos Bancários. Lula 13 estava escrito em letras garrafais, enquanto as demais informações foram grafadas com letras bem menores. Além de vários políticos do partido, aproximadamente duas mil pessoas estiveram presentes.

A militância realmente acredita que o ex-presidente é inocente em relação a todas as acusações a que sofre. Lula recebe inúmeros presentes, que são recolhidos pela sua assessoria, e acena para quem o presenteou. Equivocou-se ao lançar a deputada federal Érika Kokay como futura governadora de Brasília.

Apesar de os petistas apoiarem a candidatura, o ex-presidente foi rápido em corrigir e revelar a verdadeira intenção de Kokay. “Se eu tinha certeza que seria eleita governadora, ser deputada federal de novo vai ser fácil”, corrigiu-se Lula, já que ela disputará novamente uma vaga na Câmara dos Deputados.

A transmissão ao vivo de Lula teve 3,2 mil visualizações até o fechamento desta edição.

Fonte:

Deixe um comentário