Arruda diz que obra Mané Garrincha não foi autorizada em sua gestão e pede liberdade

Ex-governador está preso na sede da Polícia Federal, em Brasília. Foto: EBC

Preso nesta terça-feira (23) acusado de tramar toda a licitação fraudulenta da reforma do estádio Mané Garrincha, o ex-governador José Roberto Arruda afirma que inocente e pede a revogação da sua prisão.

Em nota, a defesa do ex-governador afirmou que ele é inocente “por não ter sido concluída a contratação e nem terem sido gastos recursos públicos na reforma do Estado durante o seu governo”.

Leia também: 

Exonerado, assessor de Temer repassou propina do Mané Garrincha para o PMDB

Arruda tramou toda a fraude licitatória do Mané Garrincha, diz juiz

O advogado de José Roberto Arruda, Paulo Emílio Catta Preta, anunciou que a defesa vai entrar com um pedido de revogação da prisão temporária do ex-governador.

“As empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht já confessaram seus malfeitos e reconheceram ter repartido contratações em todo País, o que lhes garantia a vitória nas licitações, independente de permissão ou conivência de qualquer autoridade pública”, diz a nota.

Arruda já está na sede da Polícia Federal, em Brasília. Esta é a segunda vez que o ex-governador é preso no local. A primeira vez foi durante as investigações da Operação Caixa de Pandora. Além dele, Agnelo Queiroz (PT) e Tadeu Filippelli (PMDB) também foram presos acusados de envolvimento nas fraudes da obra do Mané Garrincha.} else {

Deixe um comentário