Academia de crossfit é acusada nas redes de consentir com racismo

Uma festa a fantasia na última sexta-feira (18) gerou polêmica nas redes sociais. Isso porque um dos participantes decidiu reproduzir o uniforme característico do grupo supremacista branco Ku Klux Klan, também conhecido como KKK.

A roupa característica foi escolhida por um dos convidados da festa realizada em um Box do Crossfit Selva, em Brasília. A foto viralizou no Twitter e no Instagram e os internautas começaram a demonstrar indignação ao ocorrido e quanto ao não posicionamento imediato da empresa.

Hoje (21), o Crossfit Selva soltou uma nota se posicionando contra qualquer espécie de preconceito e forma de violência. “Somos uma comunidade que preza pelo respeito mútuo acima de tudo, sempre com objetivo de promover a integração humana. A academia não coaduna com qualquer ato de desrespeito, incitação ao ódio e ao preconceito”, disse a academia em sua página oficial do Instagram.

“Lamentamos o fato ocorrido no dia 18/10, ocasião em que um dos participantes utilizou fantasia ofensiva”, acrescentou.

A academia não afirmou se o convidado era ou não aluno e se alguma medida seria adotada contra ele, mas disse que tomará as devidas precauções para que tal fato não ocorra novamente.

A organização

A Ku Klux Klan surgiu no sul dos Estados Unidos em 1860 com correntes reacionárias e extremistas, tais como a supremacia branca e a anti-imigração. Seus ideais eram marcados pela violência contra líderes e cidadãos afro-americanos. Um segundo grupo, datado em 1915, adotou um traje branco padrão e além da violência extrema contra a comunidade negra, há registros de rituais de queima de cruzes.

Deixe um comentário