66ª fase da Lava Jato investiga lavagem de dinheiro no Banco do Brasil

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A 66ª fase da Operação Lava Jato, denominada Alerta Mínimo, foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (27). A Polícia Federal, em cooperação com o Ministério Público Federal (MPF) e Receita Federal, cumpre sete mandados de busca e apreensão em São Paulo e um em Natal (RN), expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba.

Não há mandados para agências ou sede do Banco do Brasil, as ordens são cumpridas nas casas dos funcionários da instituição e em uma agência de câmbio.

A nova fase apura lavagem de dinheiro praticada por doleiros e funcionários do Banco do Brasil e investiga três gerentes e um ex-gerente que teriam atuado para facilitar a lavagem de dinheiro de mais de R$ 200 milhões, realizada entre 2011 e 2014. 

De acordo com a PF, documentos trazidos por colaboradores indicaram que um doleiro teria sido responsável por conseguir pelo menos R$ 110 milhões, em dinheiro, para permitir o pagamento de propinas.

Segundo a investigação da polícia, os suspeitos atuaram em benefício de empreiteiras que contratavam com a Petrobras, dando suporte às operações de desconto de cheques, além de elaborarem justificativas internas para evitar fiscalizações. Os funcionários então recebiam comissões dos operadores e vendiam produtos da agência para atingir metas.

O MPF afirmou que o Banco do Brasil colaborou com a operação com provas colhidas a partir de uma investigação interna.

Deixe um comentário