Você conhece as PANCs?

PANCs são as plantas alimentícias não convencionais. O termo PANC foi criado pelo botânico Valdelly Kinupp com objetivo de desmistificar preconceitos com plantas consideradas “daninhas”, ou mesmo desvalorizadas em nossa cultura alimentar. Estima-se que 35 mil espécies tenham potencial comestível, e hoje 90% da nossa comida vem de apenas 20 espécies, o que equivale a menos de 0,04% da biodiversidade.

Com certeza você passa por uma PANC todo dia e nem se dá conta. As plantas alimentícias não convencionais estão por toda a parte e poderiam estar no seu prato também. Podemos usar folhas, frutos, flores, raízes, sementes/amêndoas, brotos e palmitos. Também são PANCs as partes dos alimentos que geralmente dispensamos. Como nas bananas, das quais não utilizamos os corações ou umbigo. Para isso, basta usar a criatividade.

Alguns chefs têm inserido as PANCs em cardápios sofisticados. Muitas são consideradas matos espontâneos, ou seja, plantas que crescem nos nossos quintais. Grande parte de nossa alimentação provém dos vegetais. Entretanto, utilizamos uma porcentagem mínima de espécies que poderiam complementar a dieta ou mesmo a renda familiar.

Sabendo-se que muitas pessoas hoje não têm acesso a uma alimentação nutritiva e equilibrada, as PANCs têm se tornado uma boa alternativa na alimentação humana, além de serem espécies com grande importância ecológica, econômica, nutricional e cultural.

As PANCs são, em sua maioria, rústicas. Adaptadas ao clima, têm baixa necessidade hídrica e baixa exigência de solo. O agrotóxico não é necessário para seu crescimento, pois elas são adaptadas e contam com controle biológico, decorrente de ambientes biodiversos.

Portanto, as PANCs apresentam cultivo e manejo fáceis. Confira alguns exemplos importantes dessas espécies de plantas no site www.bsbcapital.com.br

 

Exemplos de PANCs:

– Peixinho (folha cheia de pelinhos em formato parecido com peixe, também chamada de lambari-da-horta);

–  Maracuja do mato (super adocicado);

–  Beldroega (acida e crocante);

–  Ora-pro-nobis (bastante usual em preparações mineiras);

–  Capuchinha (flores amarelas, vermelhas e laranjas);

–  Azedinha vermelha;

–  Trevo (aquele de três folhas, considerado erva daninha por muitos);

–  Serralha (chamada também de chicória brava);

–  Tupinambor;

–  Flores de astromelia.

Essas PANCs podem ser usadas em saladas, preparações, refogados, etc. Foi lançado no Brasil o livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) dos autores Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, da editora Plantarum.

Deixe uma resposta