Evangelho para ateus inteligentes

José Matos

José-Matos

Jesus não fundou nenhuma religião. Quem as fez foram os homens. Ele trouxe um conjunto de ensinamentos para que as pessoas se tornem humanas e vivam felizes. Assim sendo, ateus inteligentes também podem aproveitar seus ensinamentos, que são universalistas.  As principais causas do sofrimento humano são, segundo Jesus e os grandes mestres, o orgulho, a vaidade, o apego e o egoísmo. Jesus ministrou e repetiu os remédios adequados para as correções.

1 – Desapego – O apego liga a pessoa ao objeto, impedindo sua libertação após a morte e provocando desentendimentos em vida. “Vai, doa teus bens aos pobres e segue-me”. Use seus bens, desfrute deles, mas não se escravize. Não os torne condição para sua felicidade.

2 – Solidariedade – É lei natural. Jesus enfatiza a solidariedade com desprendimento, sem visar retorno, gratidão ou aplausos. Ajuda e passa adiante. “Havia um homem caído e ferido; passou um levita e um sacerdote e não o socorreram. Um samaritano o levou para um abrigo, cuidou e pagou alguém para continuar cuidando e foi-se embora”. É a ação desprendida de resultados.

3 – Vaidade – Dá ao vaidoso um valor que ele não tem. Aos doadores de moedas na Sinagoga Jesus ensina que quem deu mais foi a viúva pobre que só contribuiu com 10 centavos e discretamente. A ação amorosa transforma as energias internas de cada um elevando-o em humanidade.

4 – Egoismo – Ao servo que teve sua dívida perdoada e não fez o mesmo com quem lhe devia, Jesus o classificou como servo mau, porque não teve misericórdia como seu credor teve para com ele. Sociedade significa “conjunto de sócios solidários”, no dizer de Frei Beto.

5 – Fraternidade – Jesus acolhia amorosamente qualquer pessoa interessada em se melhorar. Nunca se referia ao passado delas. “Vai e não peques mais”. Assim foi com a adúltera, com a prostituta, com o publicano.

Fonte:

Deixe um comentário