Witzel é afastado do governo do Rio por 180 dias

O juiz Wilson Witzel (PSC) foi afastadopor 180 dias do cargo de governador do Rio de Janeiro, como parte da Operação Tris in Idem, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), deflagrada na sexta-feira (28). APolícia Federal prendeu o Pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC, e seus dois filhos, Filipe Pereira e Laércio Pereira. 

O pastor foi citado na delação premiada do ex-secretário de Saúde, Edmar Santos, em razão da influência dele no governo Witzel. A Operação Tris in Idem é decorrência da Operação Placebo, deflagrada em maio pela PF e pela Procuradoria-Geral da República, com apoio da Receita Federal, para desarticular uma organização criminosa que atua no Rio e no País para desviar recursos públicos, notadamente, em contratos firmados no setor de Saúde para combater a pandemia da covid-19.

A operação envolveu 380 policiais federais, procuradores do Ministério Público Federal (MPF) e auditores da Receita Federal, que cumpriram 17 mandados de prisão, sendo seis preventivas e 11 temporárias, e 82 mandados de busca e apreensão em Alagoas, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo, Piauí e Distrito Federal. Existem, ainda, ações de cooperação policial internacional com medidas sendo cumpridas no Uruguai. 

Todos endereços são ligados à cúpula do governo do Rio. Estão entre os investigados, o vice-governador Cláudio Castro, que assumiu o cargo de governador interinamente, e o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano. O MP nos estados aponta que a corrupção desviou mais de R$ 1,5 bilhão dos recursos destinados ao combate à pandemia.

Deixe um comentário