Viva antes de morrer

Entre os arrependimentos de pacientes terminais registrados pela médica Ana Claudia Quintana, especializada em atendimentos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), nota-se como dos mais importante o fato de não terem “vivido a vida”.

“Eu gostaria de ter tido a coragem de viver a vida que eu queria, não a vida que os outros esperavam que eu vivesse; queria ter tido a coragem de expressar meus sentimentos; de ter ficado em contato com meus amigos; de não ter trabalhado tanto; de ter me permitido ser mais feliz”.

Estas reflexões que deveriam nos acompanhar ao longo da vida. A vida, para a maioria, é apenas um comprar e vender camelos. Pra que você quer dinheiro? Pra comprar camelo. Pra quê? pra ganhar dinheiro. Pra quê? pra comprar camelo. Pra quê? Pra ganhar dinheiro. Pra quê?

Viva! A vida não é só acumular cacarecos. Você vai pensar nisso só na hora da morte? O amanhã pode não vir. Você pode se tornar a pessoa mais rica da Terra, mas, se não souber viver, você será apenas mais um mendigo endinheirado.

Tire tempo para os amigos, para a natureza, para a família e o lazer. Tire tempo para o enriquecimento da mente e do espirito. O espírito precisa amar. Amor na sua forma mais elevada é caridade. Caridade para consigo e para com seu próximo. Faça a sua vida valer a pena. “Ame, e tudo o que você fizer estará certo”, ensinou Santo Agostinho.

A Terra é uma escola e todos somos professores e alunos uns dos outros. Com os hipócritas, aprenda sinceridade. Com os egoístas, solidariedade. Com os violentos, paz. Com os sofredores, compaixão, resignação e superação. Com os diferentes, aceitação. Com os fofoqueiros, discrição. Com os estúpidos, gentileza. Com os pessimistas, otimismo. Com os ateus, fé.

Com os pessimistas, esperança. Com os derrotados, persistência e disposição. Com os vencedores, lembrar-se da sua capacidade. Com os doentes, a saúde. Com os tristes, alegria. Com os presos, valorizar a liberdade. Com os corruptos, honestidade. Com os Mestres, lembrar-se de si.
Aprenda com os bons, como ser. Com os maus, como não ser. Na economia da vida, nada deve se perder.

Deixe um comentário