Visita com cara de campanha

Foto: Ale Motta

O presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), submeterá ao Colégio de Líderes, na terça-feira (1º), a proposta do deputado Leandro Grass (Rede) de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis desvios de dinheiro da Secretaria de Saúde nas ações de combate e prevenção ao novo coronavírus.

Os procedimentos já são investigados pelo Ministério Público (MPDFT), no âmbito da Operação Falso Negativo, que levou à prisão do ex-secretário de Saúde, Francisco Araújo, e mais 6 integrantes do alto escalão da Pasta no DF.

A proposição de Grass tinha 13 signatários na sexta-feira (28). Novos parlamentares podem assiná-la, assim como outros podem retirar o nome. A consulta ao Colégio de Líderes obedece ao Regimento Interno da CLDF, uma vez que outros dois pedidos de CPI tramitam, cronologicamente, à frente.

Visita – Na quarta-feira (26), os senadores Izalci Lucas (PSDB) e Leila Barros (PSB) e das deputadas federais Paula Belmonte (Cidadania) e Erika Kokay (PT) foram à CLDF cobrar a instalação da CPI. Alguns distritais compararam a atitude à do presidente Jair Bolsonaro de levar ministros e empresários, no dia 7 de maio, para pressionar o presidente do STF, Dias Toffoli, a amenizar as medidas restritivas impostas pelos estados no combate ao novo coronavírus.

​Delmasso: “Não entro na casa de ninguém sem antes avisar ou pedir licença”. Foto: Hamilton Silva

O vice-presidente da CLDF, Rodrigo Delmasso (Republicanos), disse que, “embora tenha achado estranho”, fez o papel de anfitrião dos parlamentares federais: “Eu não entro na casa de ninguém sem antes avisar ou pedir licença”, afirmou.

Delmasso reiterou que fez questão de transmitir a reunião ao vivo pelo canal da CLDF no YouTube “para que não houvesse qualquer tipo de mal entendido posterior”. “Temos trabalhado com total transparência, mas, pessoalmente, considero a ação oportunista. Por que eles não vêm aqui discutir soluções para a pandemia?”, questionou. Para ele, uma eventual CPI pode, inclusive, atrapalhar as investigações do Ministério Público, que está apurando tudo no âmbito da Operação Falso Negativo.

Palanque – O vice-presidente vê, ainda, cunho político-eleitoreiro na ação. “O senador Izalci é candidato declarado ao Buriti. A deputada Paula é esposa do suplente de Izalci. A senadora Leila é a esperança do PSB-DF de ressurgir das cinzas após o fiasco do governo Rollemberg. E a Erika cumpre o papel do PT de fazer oposição ao governador Ibaneis”, resumiu.

“Propus à senadora Leila que criasse uma CPI para investigar a compra de respiradores pelo governo do PSB em Pernambuco. Gostaria que o senador Izalci apurasse a aplicação das verbas do SUS em São Paulo, na gestão do PSDB. E parabenizei a deputada Paula pela lei anticorrupção, que certamente vai poder desmascarar muitos criminosos de colarinho branco”.

O deputado Reginaldo Veras (PDT) afirmou que estará atento para que a Comissão não vire palanque. Fotos: Anna Cléa Maduro

O deputado Reginaldo Veras (PDT), que faz oposição ao Buriti e assinou o pedido da CPI da Pandemia, disse que estará atento para que a Comissão não vire palanque. “Se isto ocorrer, serei o primeiro a denunciar e combater a prática”, avisou.

Deixe um comentário