Vidas importam?

Impasse atrasa entrega de 100 leitos. Fotos: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

Brasília amanheceu sexta-feira (31) com mais de 90% das vagas de UTI para pacientes de covid-19 ocupadas. Enquanto isso, 100 leitos que poderiam estar recebendo infectados pelo novo coronavírus, que estão prontos há 15 dias, continuam ociosos no Centro Médico da Polícia Militar.

Suspeitas – São 80 Unidades de Terapia Intensiva e 20 enfermarias. Porém, o Tribunal de Contas (TCDF) proibiu o início das atividades, atendendo recomendação do Ministério Público de Contas (MPC-DF). As suspeitas foram levantadas a partir da comparação com um serviço semelhante contratado pela Prefeitura de Salvador (BA).

Regras – O acerto entre a Secretaria de Saúde do DF e a Associação Saúde em Movimento (ASM) é no valor de R$ 60 milhões (anteriormente, com o Instituto Med Aid Saúde – Imas – era de R$ 85 milhões). Mas, segundo o MPC, não cumpre algumas regras previstas na Lei das Licitações.

Fila – No TCDF, o relator é o conselheiro Inácio Magalhães, que não pautou a matéria para a reunião semanal, na quarta-feira (29). Será que quem está na fila da UTI pode esperar mais uma semana?

Deixe um comentário