Vice-prefeito de cidade mineira dá exemplo de austeridade em Brasília

 

O vice-prefeito andou pela Esplanada usando as “bikes do Itaú”. Foto: Arquivo Pessoal

Em meio ao noticiário do desvio de bilhões de reais investigado pela Operação Lava Jato, a reportagem do Brasília Capital acompanhou a passagem de um jovem político do interior de Minas Gerais pela capital da República. De 4 a 7 de abril, o vice-prefeito da pequena Itajubá, no Sul de Minas, a 450 quilômetros de Belo Horizonte, esteve em Brasília em busca de investimentos federais para seu município.

No exercício do cargo em decorrência de viagem do titular Rodrigo Riera (PMDB), Christian Gonçalves (PR), montou uma agenda em Brasília e viajou para a capital da República acompanhado de um secretário municipal e um assessor. Precisariam resolver pendências referentes à revitalização do Mercado Municipal – obra avaliada em R$ 1,5 milhão – que se arrastavam há vários anos. O prédio será realizado com emenda do deputado Dimas Fabiano (PP-MG).

Diante da estimativa de gastos com passagens aéreas, hospedagem e locomoção em Brasília, Gonçalves decidiu que viajariam de carro. A comitiva saiu de Itajubá na manhã de terça-feira (4). Os mais de 1.000 quilômetros entre Itajubá e Brasília foram cumpridos em 13 horas. Na quarta-feira (5) pela manhã, o grupo iniciou uma série de reuniões no Ministério da Integração Nacional. Na manhã de quinta-feira (6), os principais entraves burocráticos estavam solucionados.

O grupo retornaria para Minas Gerais na sexta-feira (7). Um dos assessores, inclusive, estava com casamento marcado para o sábado (8). Mas o vice-prefeito tinha outros compromissos importantes para seu município em Brasília. Entre eles, uma reunião com o coronel Mendonça, no Centro de Comunicação do Comando da Aeronáutica, para agradecer por uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça, no aniversário de 198 anos de Itajubá, e encaminhar pedido para uma grande festa dos 200 anos da cidade.

O vice-prefeito ainda foi recebido pelo senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) e pelo deputado Bilac Pinto. Aos dois pediu apoio para o credenciamento junto ao SUS (Sistema Único de Saúde) do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Dr. Bezerra de Menezes de Itajubá. “É fundamental para assegurar a continuidade dos serviços especializados em tratamentos mentais daquela instituição, que há mais de dez anos atua em nossa cidade com muito profissionalismo e comprometimento”, explicou Gonçalves ao Brasília Capital.

Ele ainda teve uma reunião com o diretor do Museu Nacional do DF, João Bastos, para conhecer o funcionamento do local. Gonçalves estuda um modelo de gestão possível de ser implantado no Teatro Municipal de Itajubá.

Para cumprir sua agenda, ele se usou “bicicletas do Itaú” em suas andanças pela Esplanada dos Ministérios. E na hora de retornar à sua cidade, o vice-prefeito não aceitou pagar R$ 1.200 por uma passagem aérea. Comprou um bilhete comum de R$ 290 e foi de ônibus até Campinas (SP), onde foi “resgatado” pelo carro da Prefeitura.

Exemplos como o de Christian Gonçalves mostram, mesmo em tempos de Lava Jato e de República da Odebrecht, que o Brasil tem jeito!