Usina suspeita no Irã

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, vinculada à ONU), Yukiya Amano, voltou a pedir nesta segunda-feira acesso à usina nuclear de Parchin, no Irã. A planta é a única que os inspetores da agência não puderam entrar, por proibição de Teerã.

Devido à recusa da República Islâmica, a entidade suspeita que sejam desenvolvidas atividades ilegais de enriquecimento de urânio no local, o que alimenta as acusações de países ocidentais e de Israel de que o Irã tenha a intenção de produzir uma bomba atômica.

Em discurso, Amano pediu o acesso sem demoras para que as negociações entre os iranianos e as potências possam avançar. 

O chefe da agência afirmou ainda que o acesso a Parchin diminuiria a suspeitas de atividades nucleares ilegais dos iranianos e pediu que a República Islâmica alcance com urgência os acordos necessários para tirar as dúvidas sobre seu programa atômico.

Fonte: Folha Online

Sites e Blogs

Deixe um comentário