Uma embaixadora na Câmara Municipal de Alexânia

Nascida em família muito pobre em Corumbá de Goiás, Nilva Belo ultrapassou fronteiras físicas e sociais com trabalho e estudo na companhia de seus melhores amigos – os livros.

A professora Nilva Belo de Morais é uma vitoriosa. Nascida em família muito pobre em Corumbá de Goiás, ultrapassou fronteiras físicas e sociais com trabalho e estudo na companhia de seus melhores amigos – os livros.

Goiana “do pé rachado”, já foi muito longe, mas sempre manteve as raízes fincadas na terra onde nasceu. Nas asas dos livros, conheceu o mundo. Com a ajuda deles, fez carreira, e há 3 anos é Diretora de Livro e Literatura do município de Alexânia (GO), no Entorno de Brasília.

É a primeira vez que exerce um cargo público. Diante de seu desempenho na função, o prefeito Alysson Lima a convidou para disputar uma vaga de vereadora nas próximas eleições. Como não é mulher de fugir de briga, aceitou o desafio. Agora é pré-candidata.

Nilva ainda não se filiou a um partido político, o que fará sob a orientação de seu padrinho político. Independentemente da legenda, porém, tem uma certeza: Sua bandeira será a defesa intransigente da Educação pública de qualidade, a valorização do livro e da leitura.

Exímia contadora de histórias, vai narrar para os eleitores sua própria experiência de vida. Espera, assim, muito mais que conquistar votos, mas que seu exemplo sirva para motivar seus conterrâneos, especialmente os mais jovens, a estudar e ler. “Este é o melhor caminho”, ela crê.

Nilva Belo colabora com diversos coletivos de leitura, é titular da Academia de Letras de Alexânia (ALETRAS), na cadeira de número 12, cujo patrono é Ferreira Gullar. 

Paralelo ao trabalho atual, a professora está à frente de um intercâmbio literário promovido pelo Prefeitura de Alexânia na Região de Desenvolvimento Integrado dosMunicípios do Entorno do DF (Ride).

São momentos em que compartilha seus conhecimentos e experiências nas contações de histórias, oficinas epalestras que levaram ao êxito daspolíticas públicas de livro e leitura implementadas no município.

Até chegar a este momento, Nilva Belo também já escreveu livros, atuou como agente de leitura do Programa Mala do Livro do GDF, e desde 2016 é curadora da Feira Internacional do Livro de Brasília.

Ela colabora, ainda, com diversos coletivos de leitura, é titular da Academia de Letras de Alexânia (ALETRAS), na cadeira de número 12, cujo patrono é Ferreira Gullar. 

Moradora do distrito de Olhos d’Água, a 15 Km de Alexânia, Nilva Belo começou a vida como tecelã na pequena cidade de pouco mais de 4 mil habitantes. Ainda adolescente, pesquisava a arte dos Maias, Incas e Astecas e reproduzia no tear osdesenhos iconográficos. 

Este talento a levou ao Rio de Janeiro, onde chegou a ser entrevistada pelo Jornal Nacional. Para manter os estudos, trabalhou como doméstica, manicure, cozinheira, babá, cuidadora de idosos, faxineira e vendedora de seguro funerário.

Fez o segundo grau de técnico em magistério em Aparecida de Goiânia. Foi morar em Águas Lindas, onde atuou como dinamizadora em escolas municipais. Em 2008, aprovada em concurso público em Alexânia, voltou a morar em Olhos d’Água. 

No mesmo ano, criou o projeto Carroça da Leitura, o Leituregua, premiado no Brasil e no exterior. No ano de 2013, presidiu uma comissão especial que institucionalizou no município a lei 1247/13, que instituiu o Plano Municipal de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas – PMLLB.

Durante sua gestão, reativou a Biblioteca Pública Municipal de Alexânia Sinclei Fazzolino, equipada com mobiliário doado pelo Ministério da Cultura; inaugurou a Biblioteca Pública Municipal Professora Laís Fontoura Aderne, em Olhos d’Água; e criou a Gibiteca Professor Petrônio, emAlexânia. 

A partir de 2021, na Câmara Municipal, Nilva Belo espera usar aquela tribuna não só para defender os interesses de seus concidadãos. Ela sonha em a embaixadora do livro e da leitura da população de Alexânia. Alguém duvida?

Deixe um comentário