Um pouco mais sobre a Vitamina D

Como foi dito na semana passada, a vitamina D é essencial para a boa saúde do nosso organismo. Ela é necessária para a manutenção da saúde óssea e pode ajudar na prevenção de doenças como o câncer, a diabetes, a esclerose múltipla e a hipertensão arterial.

Muitas pessoas podem achar que a melhor forma de suprir a vitamina D seja o consumo de alimentos fonte dessa vitamina ou, ainda, o uso de suplementos. Mas isso não é verdade. A melhor forma que temos para isso é realmente a exposição moderada ao sol.

Associado a isso, é recomendada a ingestão, se possível, diária, de alguma fonte de vitamina D. Mas as fontes são relativamente escassas, e por se tratar de uma vitamina lipossolúvel, a maior parte das fontes alimentares é gordurosa.

O salmão é uma excelente fonte, mas é necessário que seja o salmão silvestre. Além dele, outros peixes, como o atum e a sardinha, entram na lista. A gema do ovo, leite e derivados (não desnatados) também podem contribuir para suprir nossa necessidade de Vitamina D, assim como alguns cogumelos (Funghi, por exemplo), desde que tenham um tipo de cultivo que garanta a exposição deles ao sol.

Voltando à questão da exposição ao sol, é importante frisar que a recomendação é de exposição moderada. E essa moderação é relativa, pois vai depender do tipo de pele (se mais clara ou mais escura, se apresenta maior facilidade de bronzeamento ou não), da região do planeta, pois a latitude influencia na forma como os raios solares incidem na Terra, da época do ano (se é verão ou inverno).

É mais simples do que parece, e ainda terei espaço para falar sobre isso, finalizando nosso assunto em outra edição.

Deixe um comentário