Tribunal de Contas do DF vai a Águas Claras para examinar qualidade do asfalto

10857088_865481863543497_9064465815163817964_oO corpo técnico do Tribunal de Contas do Distrito Federal foi a campo nesta quarta-feira, dia 22 de julho 2015, para avaliar o asfalto novo que está sendo aplicado em Águas Claras. O presidente do TCDF, Conselheiro Renato Rainha, também esteve na cidade para fiscalizar a obra rodoviária em execução.

Com uma sonda rotativa do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF), foram extraídas pequenas amostras da capa asfáltica na Avenida Araucárias para verificar se o material aplicado está de acordo com as normas técnicas e com o projeto previsto na Etapa 2 do Programa Asfalto Novo. “Nós queremos avaliar a qualidade do asfalto no momento em que ele está sendo feito. Isso porque, se encontrarmos alguma irregularidade, é possível determinar a correção do erro e evitar prejuízos aos cofres públicos e à população, que já está cansada de ter um asfalto de péssima qualidade e baixa durabilidade. A medida também tem efeito pedagógico sobre as empreiteiras”, disse o presidente do Tribunal.

As amostras retiradas em Águas Claras serão analisadas no laboratório do Departamento de Engenharia da Universidade de Brasília (UnB). É no chamado Infralab que também já estão sendo examinadas as mais de 300 amostras que foram colhidas no Plano Piloto, onde foi realizada a Etapa 1 do Programa Asfalto Novo. Os auditores do TCDF estão avaliando, por exemplo, os graus de compactação do asfalto. “Quanto melhor a compactação, mais durável é o pavimento”, explica o professor Elci Pessoa Júnior, o engenheiro civil que está prestando consultoria ao TCDF. Ele é um dos mais renomados especialistas do país em fiscalização de asfalto.

Os resultados também vão revelar a flexibilidade e resistência do concreto utilizado; a espessura e a densidade das camadas; o nivelamento da pista; e o teor de ligante existente no pavimento, ou seja, a quantidade de Cimento Asfáltico de Petróleo (CAP) que confere a coesão entre os outros componentes da massa asfáltica. O próximo passo é fiscalizar o recapeamento das vias de Taguatinga.

Segundo o presidente do TCDF, Conselheiro Renato Rainha, a Corte vai adquirir equipamentos e um laboratório próprio para fazer a análise do asfalto em todas as cidades do Distrito Federal de forma constante. Enquanto isso, o Tribunal tem contado com a colaboração da UnB e do DER/DF.


Saiba mais:


Ministério Público fiscaliza a “praia” de Brasília


Guerra contra o isopor em Águas Claras


Governo libera R$ 5 milhões para construção de viadutos em Águas Claras


Fonte:

Deixe um comentário