Trechos da EPTG têm velocidade reduzida

 

EPTG terá quatro pontes e dois viadutos alargados. Primeira obra será próxima à Residência Oficial de Águas Claras. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

 

 

 

O Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) fará, nesta quinta-feira (22), as alterações no trânsito para que a Secretaria de Mobilidade comece a alargar quatro pontes e dois viadutos na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Durante o período das obras, a velocidade nesses pontos ficará reduzida de 80 para 60 km/h. A primeira obra será no Córrego Samambaia, próximo à Residência Oficial de Águas Claras. A intervenção será feita no sentido Brasília-Taguatinga, logo após o viaduto Israel Pinheiro. Em decorrência da ampliação da terceira faixa, nesse ponto o trânsito será desviado para a esquerda, e a pista da direita interditada. O DER liberará a via exclusiva dos ônibus apenas no trecho em reforma.

A redução da velocidade no período das obras é para garantir a segurança dos motoristas e dos trabalhadores no local. A readequação da sinalização da área já foi providenciada e as placas, colocadas. O radar situado logo após o Córrego Samambaia será aferido para autuar o excesso de velocidade acima de 60 km/h a partir desta quarta-feira (21). Um novo equipamento de controle de velocidade também foi instalado na saída do viaduto Israel Pinheiro.

O conjunto de obras, licitado pela Secretaria de Mobilidade, é necessário para melhorar o fluxo no local, onde existe um afunilamento na terceira faixa de rolamento, que diminui de 3,50 metros para 2,70 metros. De acordo com o superintendente de trânsito do DER, Cristiano Cavalcante, a pista passará a ter três faixas de 3,50 metros, além de um acostamento de aproximadamente 2,50 metros. Uma estrutura metálica dará o reforço na ponte que será alargada.

O mesmo será feito na ponte no sentido contrário (Taguatinga-Brasília). A previsão é que a obra comece na segunda quinzena de março.

Ao todo, três trechos receberão reformas: o do Córrego Samambaia, o do Córrego de Vicente Pires (perto do viaduto que leva à Via Estrutural) e o do viaduto da linha férrea (entre o Guará e o Lúcio Costa). A previsão é que as três intervenções terminem em cerca de 120 dias.

 

 

 

Deixe um comentário