TRE-MG cancela indiciamento de candidatas ‘laranjas’ do PSL

Foto: Divulgação

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) cancelou o indiciamento, por meio de um habeas corpus, das quatro ex-candidatas do PSL suspeitas de terem atuado como “laranjas” nas eleições de 2018.

A decisão foi tomada nesta terça-feira (12), por 4 votos a 2. O pedido foi concedido e a defesa de Débora Gomes da Silveira, Camila Fernandes Rosa, Naftali Tamar da Oliveira e Lilian Bernardino da Almeida alegou irregularidade da Polícia Federal na condução do inquérito. Elas foram indiciadas por falsidade ideológica, associação criminosa e aplicação irregular de verba.

Além das quatros mulheres, outras sete pessoas foram procuradas pela PF, em outubro deste ano. Entre elas o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que afirmou ser inocente. Ele continua indiciado.

As investigações apontaram que algumas candidaturas femininas do PSL-MG teriam sido usadas de fachada e que o dinheiro do fundo partidário destinado às campanhas delas teria sido repassado para campanhas de candidatos masculinos. Na época, o ministro era presidente da sigla no Estado.

Segundo o TRE-MG, o processo segue em segredo de Justiça e volta a tramitar na primeira instância, em Belo Horizonte.

Deixe um comentário