Traficantes disfarçados de flanelinhas

 (Carlos Moura/CB/D.A Press)

Locais de grande circulação de carros e de pessoas, os estacionamentos da área central de Brasília se tornaram pontos frequentes de crimes. Furtos dos mais diversos e tráfico de drogas, por exemplo, ocorrem constantemente. Flanelinhas, parte deles sem autorização para o serviço, contribuem para as práticas ilícitas e aumentam a sensação de insegurança na área central do Plano Piloto. É comum ver alguns sem o colete fornecido pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest).


Há um ano e meio, a Procuradoria Geral (PGR) do Distrito Federal considerou inconstitucional a lei distrital de 2009 que regularizava a atividade como profissão. Desde então, guardadores e lavadores de carros não são mais obrigados a usar coletes e crachás. Com isso, criminosos se misturam entre eles.


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário