Terceira edição do Festival Coma começa e destaca DF como polo de produção cultural

Durante quatro dias, Brasília irá vivenciar diversas conferências, debates, pitches e shows. O Festival Coma – Convenção de Música e Arte teve início nessa quinta-feira (1º), no Teatro do Brasil XXI, tendo a Secretaria de Turismo como co-realizadora. Participaram da mesa de abertura a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, a diretora-geral da Associação Traços para Educação e Cultura, Hellen Cris Vaz, e a gestora de Economia Criativa do Sebrae-DF, Juliana Mota.

O Festival, que é realizado há três anos, já se consolidou no calendário de Brasília e é considerado uma das maiores convenções musicais do Centro-Oeste, pois valoriza e discute o mercado da música, da produção cultural, das artes em geral, dos games e de temas relacionados. Para a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, a capital brasileira é um importante celeiro de inovação e com características únicas para receber grandes festivais culturais.

“Brasília já nasceu disruptiva, rompendo paradigmas e inovando. Nasceu de um sonho e tem grande capacidade de atrair e criar eventos. Temos vocação para o turismo criativo, que deve ser considerado como um dos mais importantes geradores de emprego e renda para pessoas de qualquer faixa etária”, observou Vanessa Mendonça.

De acordo com a chefe da pasta do Turismo no DF, a capital brasileira é considerada uma das melhores cidades para abrigar eventos, pois possui aeroportos dos melhores, rede hoteleira de excelência, logística mais barata e facilidade de deslocamentos. “Nossa capital é uma cidade que está pronta, pulsando e viva para abrigar todos os eventos. Temos condições de oferecer experiências únicas e acolher nossos turistas da melhor forma”, acrescentou a secretária.

A diretora-geral da Associação Traços para Educação e Cultura, Hellen Cris Vaz, destacou que as parcerias para a realização do evento são fundamentais para que ações como o Coma se tornem realidade e ajudem a promover o crescimento no DF. “Trabalhamos para fomentar a cadeia produtiva e fazer da cultura um motor social de Brasília”, exclamou Hellen.

Além das palestras, quem participar dos dois dias de Conferência no Brasil XXI poderá adquirir produtos de artesãos brasilienses. A Secretaria de Turismo montou um espaço para esses artistas da cidade exporem e venderem seus produtos.

Nos shows a serem realizados em estrutura montada no Eixo Monumental, turistas e brasilienses também terão a oportunidade de conhecer mais uma pouco da cidade. Será disponibilizado para o público um dos centros de Atendimento ao Turista (CAT) Móvel da Setur-DF. Serão fornecidos mapas, folders, guias e orientações sobre o turismo no Distrito Federal.

Festival Coma

Lançado em 2017, o Coma reforça Brasília como grande polo de produção cultural. Na edição de 2019, são mais de 60 atrações divididas entre Planetário, Clube de Choro e pelo gramado da Funarte, além de uma conferência no Teatro do Brasil XXI.

*Com informações da Secretaria de Turismo.

Deixe um comentário