Tentações ou desejos?

Tentações acontecem em momentos de fragilidade. Olho vivo com esses momentos. A tentação encontra ressonância no desejo latente ou atual. Num momento de carência, porque está faltando interesse sexual do parceiro/parceira, pode acontecer a traição porque alguém olhou pra você de forma simpática ou lhe elogiou.

Dificuldades financeiras podem favorecer o endividado a apossar-se dos recursos dos outros ao receber oferta de propina. Má vontade com a mediunidade pode afastar o médium do centro após pequeno atrito com colegas ou dirigentes. Má vontade de viver pode propiciar o suicídio após a perda do emprego, fim do casamento, namoro, “bomba” no concurso, vestibular ou vergonha, após uma descoberta de falcatruas cometidas.

Descubra seus pontos fracos pelo autoconhecimento e trabalhe-se para se fortalecer sozinho ou com ajuda de terapeutas, mas não alimente e nem justifique suas fragilidades que geram os desejos e permitem as tentações.

Jesus não sofreu tentação, no sentido literal, porque ele não tinha escuridão em seu ser para entrar em ressonância com o mal. Isso foi apenas um simbolismo para nos alertar sobre as nossas fragilidades e consequentemente buscarmos sabedoria que é a luz da consciência.

Sabedoria se adquire com o conhecimento aplicado e experiência, mas é preciso superar o encantamento com o erro, com o fácil que prejudica o próximo. A ação, sem levar em conta o outro, nos coloca na roda do carma, e quanto mais forte, mais difícil é sair dela.

Aproveite sua vida e tenha como meta também a prática da Lei de Progresso e da Lei de Solidariedade. O cumprimento dessas duas leis lhe dará sentimento de dignidade, utilidade e gratidão.

A vida é dada para que cada um de nós, além das tarefas que veio desempenhar, desenvolva-se em amor e sabedoria, como ensinava Emmanuel.

É o amor e a sabedoria que nos fortalecem e eliminam os desejos e as tentações.

Deixe um comentário