Tênis de mesa brasileiro disputa torneios

A nova geração do tênis de mesa brasileiro participou, entre os dias 19 e 23 deste mês, de duas competições na Suécia, o Safir Internacional e o Aberto da Suécia, e da etapa do Circuito Mundial Infantil e Juvenil promovida pela ITTF. O coordenador Técnico de Seleções, Lincon Yasuda, comandou o grupo formado pelos atletas Gustavo Ushisima, Isaac Zauli, Massao Kohatsu, Renan Ferreira, Bruna Takahashi e Letícia Nakada e fez um balanço da participação nacional. “Terminamos a nossa participação no GJC da Suécia e Safir International. Tivemos boas atuações, jogamos com chances de surpreender os adversários mais fortes, conquistamos algumas boas vitórias e deixamos de aproveitar outras oportunidades”, avaliou.

Na fase de grupos do Aberto da Suécia, o aproveitamento dos atletas brasileiros foi excelente e apenas um atleta não se classificou para a chave principal. Massao Kohatsu obteve duas vitórias sobre o sueco Simon Soderlund, e o espanhol Javier Soria, superou o coreano Mats Meinseth, mas depois acabou sendo eliminado pelo sueco Anders Eriksson, que terminou 4 x 3, entre os 32 melhores.

Renan Ferreira estreou com derrota para o francês Nolan Givone. Se recuperou contra o venezuelano Angelo Millan, mas depois foi superado pelo sueco Viktor  Gullbo. Isaac Zauli passou na primeira rodada pelo representante de San Marino, Davide Muccioli, perdeu para o sueco Malte  Moregard, e não conseguiu repetir a boa atuação da estreia, sendo batido pelo também sueco Elias Ranefur, entre os 64.

“Entre os homens, tivemos boas atuações do jovem Renan Ferreira, que, sem dúvidas, terá maiores vitórias, adquirindo mais experiência. Massao e Isaac passaram por bons momentos, e outros difíceis, passaram por duas semanas de muito aprendizado e com certeza terão muitas coisas para trabalhar. Fizeram bons jogos, viraram resultados adversos e conseguiram evoluir com certeza”, garantiu Lincon.

No feminino, Bruna Takahashi e Letícia Nakada se classificaram para a chave principal com campanhas parecidas. Bruna venceu a finlandesa Anna-Sofia Erkheikki e a egípcia Riman  Hesham, ambas por 3 x 0, e perdeu para a polonesa Aleksandra Falarz, também por 3 x 0. Depois superou a egípcia Yomna Sorour e a sueca Filippa Bergand, em um emocionante 4 x 3. Nas quartas de final, em outro jogo muito equilibrado, perdeu para a japonesa Kato Yuko, por 4 x 2.

Letícia superou a sueca Erika Front e a atleta da Líbia, Khoury Muna, por 3 x 0, e perdeu para a egípcia Yomna Sorour, se classificando em segundo lugar no grupo.

Na chave principal, passou pela polonesa Aleksandra Falarz, por 4 x 2, e pela suíça Celine Reust, por 4 x 1, antes de perder nas quartas de final para a japonesa Rira Ishikawa, por 4 x 0. “Para as meninas, Letícia e Bruna, foi uma ótima oportunidade de comparar com as atuações delas nesses mesmos torneios no ano passado. E a impressão deixada foi muito boa, de que houve evolução nesse período de um ano, e que elas podem seguir por esse caminho”, explicou Lincon.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Deixe um comentário