Taxistas tentam negociar reajuste

Tarifa cara e atendimento precário. É assim que boa parte dos usuários de táxis avalia o serviço oferecido no Distrito Federal. A insatisfação com o atendimento é recorrente. Motoristas mal treinados, recusa de passageiros quando o trajeto se mostra curto, veículos com mau cheiro, entre outras reclamações. Ainda assim, a categoria reivindica um reajuste de 24% no valor da tarifa. Se o governo atender o pedido, uma corrida do aeroporto para o Setor Hoteleiro Sul passaria dos atuais R$ 35 para R$ 44. Partindo do mesmo ponto com destino à Rodoviária Interestadual, o custo aumentaria R$ 5, de R$ 25 para R$ 30.


No fim da manhã de ontem, o governador Agnelo Queiroz recebeu a presidente do Sindicato dos Permissionários de Táxi e Motoristas Auxiliares do Distrito Federal (Sinpetáxi), Maria do Bonfin. A representante da categoria oficializou o apelo e disse que o índice pedido leva em conta o aumento do combustível e dos gastos gerais com a manutenção do veículo. “A bandeirada está congelada em R$ 3,30 há mais de 10 anos, e o quilômetro rodado teve um reajuste pequeno em 2009. Só que todos os custos aumentaram”, reclama.


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário