Taiwan quer participar de assembleia de agência da ONU especializada em segurança da aviação

ICAO-divulgação
Organização Internacional de Aviação Civil trabalha em conjunto com governos, entidades e empresas para garantir a segurança dos voos em todo o mundo. Foto: Divulgação

O governo de Taiwan manifestou seu interesse oficial em participar da 39ª Assembleia da Organização Internacional de Aviação Civil (Icao, na sigla em inglês), agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU). e busca o apoio da comunidade internacional com essa finalidade.

O encontro trienal será realizado de 27 de setembro a 7 de outubro na sede da entidade, em Montreal (Canadá) e seria a segunda participação taiwanesa. A primeira foi em 2013 e foi muito bem recebida e considerada consistente com a meta de uma rede sem costura para a segurança da aviação da Icao.

Embora não seja membro da ONU, Taiwan é uma parte indispensável da aviação mundial, responsável pela gestão de grandes volumes de tráfego na Região de Informação de Taipé (Taipé FIR, na sigla em inglês). De acordo com o governo taiwanês, como integrante da comunidade internacional, a ilha asiática compartilha a responsabilidade de salvaguardar a segurança da aviação regional e global e está comprometida em contribuir para o desenvolvimento da aviação global e o bem-estar de toda a humanidade.

A FIR taiwanesa abrange 180 mil milhas náuticas quadradas e faz fronteira com quatro outras FIR, são elas; Fukuoka (Japão), Manila (Filipinas), Hong Kong e Xangai (ambas na China continental). Em 2015, a Taipé FIR forneceu serviços de cerca de 1,53 milhão de voos controlados que transportam 58 milhões de passageiros entrando, saindo, ou que transitam por Taiwan.

Toda semana, a ilha tem cerca de 56 voos regulares de e para a Europa, 186 de, e para os Estados Unidos, 600 de, e para o Japão, e mais de 1.400 para, e da China continental. Taiwan está ligado a 135 cidades em todo o mundo através de 301 rotas programadas de passageiros e de mercadorias.

Já que a Taipei FIR inclui o espaço aéreo mais movimentado na Ásia Oriental, a segurança da aviação que deve ser mantida ao mais alto padrão global em todos os momentos, para garantir a mobilidade regional e global e o desenvolvimento econômico.

Espaço democrático – Mais, mais de 40 estados não-contratantes e organizações internacionais participaram como observadores das últimas Assembleias da Icao, incluindo a Palestina, a União Européia, a União Africana; organizações de aviação civil proeminentes, como a Associação Internacional de Transporte Aéreo, Conselho Internacional de Aeroportos, a Organização de Serviços de Navegação Aérea Civil, e a Federação Internacional das Associações de Pilotos, além de empresas como Aeronautical Radio, Incorporated e Ineco.

Taiwan ocupa uma localização geográfica crítica e lida com grandes volumes de carga e de passageiros. Portanto, a participação regular da ilha asiática na 39ª Assembleia iria contribuir para a realização do conceito de um céu regional, bem como o objetivo de um céu sem costura da Icao. Isso beneficiaria a indústria da aviação na região da Ásia-Pacífico e no mundo como um todo, além de servir os interesses de todas as partes envolvidas.

Taiwan já conta com precedente considerável em relação à participação em outras agências especializadas da ONU. Todos os anos desde 2009, o ministro da Saúde e Bem-Estar participou da Assembleia Mundial da Saúde como  observador sob o nome de Taipé Chinês. Também em 2009, Taiwan tornou-se um participante nos Regulamentos Sanitários Internacionais da Organização Mundial de Saúde (OMS). Isso tem beneficiado os esforços globais destinados a prevenir a propagação de doenças.

 

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário