Taguatinga parou

Cerca de 250 manifestantes pararam o centro de Taguatinga na manhã de sexta-feira (19), causando engarrafamentos quilométricos na EPTG e nas avenidas Comercial, Samdú, das Palmeiras e Hélio Prates. O movimento foi liderado pela Associação dos Comerciantes da Feira dos Importados e pela Associação dos Moradores da cidade.

REGULARIZAÇÃO DA FEIRA

Os feirantes reivindicam a regularização do terreno no início da avenida Samdu Sul, onde funciona a Feira dos Importados, melhores condições de trabalho e a aplicação de R$ 1,3 milhão destinados ao setor, por meio de emenda parlamentar dos deputados Wasny de Roure (PT) e Washington Mesquita (PSD), até então não investidos pelo GDF.

INTERDIÇÃO DO POSTO DE SAÚDE

Os moradores protestavam contra a interdição, há 12 dias, do Centro de Saúde nº 6. Tendo em mãos um abaixo-assinado com 1,8 mil signatários, Maria das Graças Maia, presidente da Associação de Moradores, alega que nenhuma explicação foi dada à população para suspensão do funcionamento da unidade, que atendia a três mil pacientes por mês.

PM CERCA A ADMINISTRAÇÃO

Em meio ao caos que se instalou na cidade, a única providência do administrador Carlos Jales foi reforçar o policiamento na porta da Administração (foto). Procurada pela reportagem do Brasília Capital, a assessoria da Regional se limitou a pedir o envio de um e-mail com as perguntas sobre o que Carlos Jales eventualmente poderia dizer à população.

FEIRANTES VOLTARÃO ÀS RUAS

Para a próxima semana está marcada grande manifestação com todas as 72 feiras do Distrito Federal, garantiu o presidente da Associação, Marcos Roberto Chaves.

  FALA POVO

  Marcos Roberto Chaves, presidente da Associação dos Feirantes

“Entra governo, sai governo e a Administração não atende nossas reivindicações. Geramos 1,5 mil empregos diretos e oito mil indiretos. Mesmo assim, as 449 bancas padecem com o descaso. Todas as promessas de campanha feitas pelo governador foram descumpridas”.

Vicente de Almeida Dantas, dono de banca de eletrônicos

“Pagamos impostos, não recebemos retorno e ainda somos vítimas da Seops, que barbariza também os feirantes que comercializam produtos regularizados”

Hallen de Alencar, 21 anos, estudante

“Apóio a manifestação da cidade e todas as outras que estão acontecendo pelo país. Ouvi boatos de que o GDF não quer regularizar o terreno da Feira dos Importados para favorecer o Paulo Octávio, que quer comprar o lote”.

Edson Miguel de Oliveira, 30 anos, técnico em informática

“A Feira dos Importados é um ponto forte no comércio de Taguatinga. Sem regularização, muitos pais de família correm o risco do desemprego. O governo está cheio de corrupção e o povo é quem paga o pato”.

Fonte:

Deixe um comentário