Taguatinga é Cultura

Taguatinga é um dos mais importantes polos culturais do Distrito Federal. Desde a década de 1980, diferentes manifestações artísticas acontecem na cidade, compondo um cenário plural bastante inspirador. Os Movimentos organizados, os pontos de cultura e os artistas independentes retratam a efervescência artística da população, que busca, dia após dia, a implantação de políticas públicas de fomento à arte e incentivo ao desenvolvimento da cultura fora do Plano Piloto. Em Taguatinga, Coletivos como o Soma Cultural, Tribo das Artes e a Galeria Olho de Águia se destacam por suas propostas.

Soma

Nascido em 2000, o Soma Cultural é um movimento bairrista, que tem como propósito fortalecer e expandir a arte experimental independente. Surgiu com a ideia de unir diferentes expressões culturais em um mesmo espaço, para divulgar, promover e valorizar a cultura independente. O movimento agrega música, artes visuais, poesia, espetáculos de dança e muita criatividade.

O Soma Cultural é um dos responsáveis por movimentar a integração de artistas taguatinguenses e nacionais em suas apresentações. Em 2012, o coletivo trouxe à cidade Karina Burh, Satanique Samba Trio, Dillo D’Araujo, Wado e Coletivo da Palavra.

Para o produtor Fernando Teles, idealizador do Soma Cultural, o cenário artístico de Taguatinga é amplo, rico e com grande potencial, mas, esquecido pela Administração Regional.

“A Secretaria de Cultura incentiva os movimentos culturais no DF. Entretanto, a Administração da cidade parece desacreditar do potencial artístico local. Falta apoio financeiro, espaços públicos para as manifestações culturais e, principalmente, falta a valorização do que é produzido em Taguatinga”.

Para Fernando Teles, “a Administração Regional prefere destinar a verba pública para pagar altos cachês de artistas nacionais consagrados e ignora os movimentos artísticos locais”, completa.

Ponto de Cultura

A Galeria Olho de Águia, concebida pelo fotojornalista Ivaldo Cavalcante em 2002, é um ponto de Taguatinga que merece atenção. O espaço, localizado na Praça da CNF, foi idealizado para expor o acervo do seu criador. Entretanto, com o passar do tempo, o espaço se consolidou como um ponto de cultura.

Dividido entre a Galeria Olho de Águia e o Bar Faixa de Gaza, o espaço realiza múltiplos eventos, como exposições, lançamentos de livros, mostras de filmes, feiras fotográficas e pocket shows. A Galeria também já foi locação do curta-metragem Brasília, título provisório, filme ganhador do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro de 2008, pelo júri popular.

Para Ivaldo Cavalcante, fundador do espaço, a Galeria é um ambiente de apoio à arte. “Nosso espaço promove várias oficinas, jeam sessions, mostras fotográficas e grandes encontros. Temos a biblioteca Gervásio Batista, com acervo bacana de vídeos, livros e revistas sobre fotografia”.

Ivaldo Cavalcante afirma que o bar favorece encontros, reencontros e boas conversas. Além disso, existe o projeto Artista do Bairro, onde um artista local é convidado a expor seu trabalho por vinte dias, com o intuito de divulgar, apoiar e valorizar a cultura de Taguatinga”.

Sarau

A Tribo das Artes é outro movimento cultural de grande expressão em Taguatinga. Nascido no ano 2000, o coletivo realiza saraus mensais, oficinas, recitais e apresentações itinerantes em todo DF, difundindo a arte e abrindo portas para o intercâmbio  ​cultural.

Fonte:

Deixe um comentário