Suspeita de fraude no MPF

Procurador-geral Augusto Aras. Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

Por suspeita de fraude no sistema interno de votação, o Ministério Público Federal (MPF) adiou de 18 de maio para a última terça-feira (23) a eleição para o Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF).

Armou… – O adiamento foi articulado pelo procurador-geral Augusto Aras (foto), entusiasta da tese de que o sistema Votum, usado em eleições no MPF, estaria viciado. Esta é a plataforma de escolha da lista tríplice da PGR, ignorada por Aras e pelo presidente Jair Bolsonaro, que o indicou.

… E perdeu – Mesmo depois das alterações e do pedido de verificação feito pela Controladoria Geral da União no Votum, Aras foi derrotado na corrida pelo CSMPF.

Desafetos – Venceram a eleição os subprocuradores Mario Bonsaglia e Nicolao Dino. Bonsaglia foi o primeiro colocado da última lista tríplice para PGR. Já Nicolao Dino é ligado ao ex-PGR Rodrigo Janot. Ambos são desafetos de Aras.

Deixe um comentário