Superfaturamento de merenda no DF

Um relatório do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), concluído no último dia 11 de março, detalha indícios de superfaturamento na compra de produtos para a merenda escolar pelo governo do Distrito Federal, conforme revelou a última edição de VEJA. A análise dos auditores mostra que o governo Agnelo Queiroz (PT) cometeu uma sequência de “graves vícios”, que podem chegar a 7 milhões de reais em prejuízo, segundo estimativas do tribunal.

Na época da contratação, a principal empresa agraciada, a Fonte Fofinho, era acusada de fraudar uma vistoria para poder participar de um procedimento licitatório na Secretaria de Planejamento do governo local. Apesar das irregularidades, a empresa foi considerada idônea para assumir o fornecimento de sal, leite em pó, milho, arroz, biscoito e óleo de soja à rede pública de ensino.
O governador do DF, Agnelo Queiroz, fala com jornalistas em 2011

O governo do Distrito Federal nega que tenha cometido irregularidades: no caso da merenda, afirma que a contratação era indispensável e que o mecanismo de seleção não é ilegal. Reconhece, além disso, que as contratações emergenciais normalmente resultam em preços maiores.

Fonte: Veja Online

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário