Suicídio de crianças. Por quê?

A indiferença, o desamor e as cobranças sempre que erram, sem apoio e incentivos nos acertos, são as causas mais frequentes de desgosto pela vida, que, muitas vezes, levam ao suicídio. O acompanhamento interessado dos filhos é oportunidade importante para o processo de autoconhecimento.

Se os pais tivessem esta atitude a ignorância no mundo seria menor. “O autoconhecimento é a base da sabedoria”, ensinou o psicólogo indiano J. Krishnamurti, autor do excelente livro, “O Verdadeiro Objetivo da Vida”.

Muitos pais pensam que apenas a assistência material é suficiente. Esquecem-se de que as crianças entendem o que se passa em volta e que afeto, atenção, participação e reconhecimento são tão importantes quanto o alimento material. Outros ainda se comparam e erram dando o mesmo tratamento que receberam ou superprotegendo-os.

Cada criança é uma individualidade e é preciso descobrir a maneira adequada de educá-las. Cada um vem com uma função dentro da família e uma vocação.

Erram muito os pais que impõem profissões aos filhos. Ignorantes, acham que a função de todos é apenas ganhar dinheiro e acumular coisas materiais. Coisas são apenas meios para ajudar na educação da alma.

“O objetivo da vida é o de acender uma luz na escuridão do ser”, ensinou o psicanalista Carl Jung. De maneira idêntica, ensinou Luis Sérgio: “O objetivo da vida é o aprendizado da arte de amar”.

O suicídio tem consequências desastrosas. Traumatiza a alma, que carregará por bastante tempo seus efeitos. Como mata o corpo mas não a alma, será mais um motivo de sofrimento.

“Deixai vir a mim as criancinhas”. “Ave Cristo. Os que vão viver para sempre Te glorificam e saúdam”.

Deixe um comentário