Soros investirá US$ 1 bilhão para combater ditadores e critica Bolsonaro

Ele afirmou que Bolsonaro falhou em prevenir a destruição das florestas tropicais

O bilionário George Soros anunciou, na quinta-feira (23), um investimento de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4,2 bilhões) para criação de uma rede acadêmica destinada a lutar contra os “ditadores de agora e em gestação”. Outra objetivo é amenizar os efeitos das mudanças climáticas. Ao criticar Jair Bolsonaro, ele afirmou que o brasileiro falhou em prevenir a destruição das florestas tropicais no País e abriu a Amazônia para a criação de gado.

Em nota publicada no site da Open Society Foundation, uma fundação do próprio Soros, a finalidade do projeto é conectar instituições de ensino superior mundo afora para promover os valores da liberdade de expressão e da diversidade de crenças, entre outros.

No centro dessa rede estarão a Universidade Centro-Europeia, em Budapeste, fundada pelo próprio Soros, e o Bard College, a duas horas de Nova York. A agência de notícias AFP, que deu a notícia, informou também que algumas das parcerias anunciadas serão feitas com a Universidade Americana, na Ásia Central, no Quirguistão, e com a Universidade Brac, em Bangladesh.

Deixe um comentário