Socorro ao Chipre

A zona do euro e o Fundo Monetário Internacional (FMI) acertaram na madrugada deste sábado, após dez horas de negociações, um plano de socorro de até “10 bilhões de euros” para Chipre, informaram fontes europeias à AFP.

O “acordo foi obtido” e prevê um teto de “10 bilhões de euros”, bem abaixo dos 17 bilhões de euros que havia solicitado Chipre, destacaram as fontes. “O resgate abre um novo futuro econômico ao povo cipriota”, afirmou o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem.

Mas, como era previsto, as negociações foram muito tensas. “A posição dura do FMI e de outros sócios gerou um clima pesado”, admitiu o ministro das Finanças cipriota, Michalis Sarris.

O Chipre se tornou o quinto país da Eurozona a ser resgatado, após Grécia, Irlanda, Portugal. A zona do euro também concedeu uma ajuda bilionária a Espanha destinada a seu setor financeiro.

O acordo prevê uma taxa de 9,9% para os depósitos bancários superiores a 100 mil euros e de 6,75% aos inferiores a este valor, tanto para os residentes como para os não residentes da ilha.

Fonte: France Press

Sites e Blogs

Deixe um comentário