Sobreviventes de tragédia terão assistência por 2 anos

O secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, Ciro Simoni, anunciou nesta terça-feira que sobreviventes, parentes, voluntários e profissionais que participaram do socorro às vítimas da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria, serão acompanhados por pelo menos dois anos por um serviço de assistência que o estado está montando. Profissionais de saúde serão orientados a buscar envolvidos no episódio e convidá-los a passar por revisões periódicas, de acordo com cada caso. No incêmdio, morreram 237 pessoas
Além de prestar assistência, o serviço do governo vai gerar conhecimentos para o futuro. “Em episódios como esse, há estatísticas como as de quem chega ao hospital e morre, quem chega e vai para a alta e até mesmo de suicídios”, destaca Simoni, revelando que três internações feitas desde o incêndio foram motivadas pelo temor de que o paciente atentasse contra a própria vida. 
Fonte: Veja Online
Sites e Blogs

Deixe um comentário