Sessão? Seção? Cessão?

Alguém me procurou e disse: “Elias, costumo ter facilidade com a língua portuguesa, mas, nesta semana, notei que tenho uma dificuldade recorrente: a diferença entre sessão e seção! Além de fazer parte do meu trabalho, é uma palavra que aparece frequentemente no meu dia a dia. Quando devo usar cada uma dessas palavras?”

Antes de explicar a dúvida do meu amigo, vamos entender o fenômeno linguístico envolvido nessa situação. Na nossa língua, há palavras que são iguais na pronúncia ou na escrita, mas possuem sentidos diferentes. São os famosos homônimos. Existem os perfeitos – iguais em grafia e pronúncia, como manga (fruta) e manga (de camisa) – os homógrafos – mesma grafia, mas pronúncia diferente, como em almoço (substantivo) e almoço (verbo) – e os homófonos – que apresentam a mesma pronúncia, mas grafia diferente, como é o caso apresentado logo no início deste artigo.

Agora que você conhece a parte conceitual, vamos analisar o caso concreto:

SESSÃO: significa uma reunião de pessoas. Pode também expressar um intervalo de tempo destinado a uma atividade ou apresentações de um determinado espetáculo. Vamos ver exemplos:

(1) Essa terapia é composta por várias sessões.

(2) Realizei uma sessão de fotos maravilhosa!

(3) Iremos à primeira sessão daquela peça.

SEÇÃO: significa a parte de um todo ou um departamento específico. É equivalente à SECÇÃO, mas esta forma é mais comum na matemática e nas ciências biológicas.

(4) Li a seção do seu livro que trata dos princípios constitucionais.

(5) Na seção de frios, você encontrará muçarela.

(6) Nessa imagem, é possível observar a secção transversal de uma pirâmide.

Ainda há outra forma que merece ser citada:

CESSÃO: substantivo que expressa o ato de ceder.

(7) Esse documento representa uma cessão de direitos autorais.

Agora, você não terá mais dúvidas acerca dessas palavras! Aproveite o ensejo para estudar outros homônimos importantes! Isso vai melhorar o seu vocabulário!

Fonte:

Deixe um comentário