Sessão da Câmara é marcada por continuidade de críticas ao GDF

Carlos Gandra

A sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta quarta-feira (28) foi marcada mais uma vez pelas críticas ao GDF. Não houve votação de projetos. O líder do PMDB, deputado Wellington Luiz, lamentou a postura do governador Rodrigo Rollemberg, em entrevista concedida a uma emissora de TV local. Segundo o distrital, o governador continua insistindo em jogar a população contra os servidores públicos.

Para Wellington, o governador induz a população ao erro ao afirmar que 80% dos recursos do Fundo Constitucional do DF são consumidos por 7% da população, no caso os servidores. O deputado esclarece que os recursos do Fundo só podem ser usados para o pagamento de pessoal das áreas de segurança, saúde e educação. “Além disso, esses 7% da população, que são os servidores, atendem a toda a população do DF. Quanto mais o governador pressionar os servidores, pior vai ficar a situação”, completou.

Na avaliação do deputado Bispo Renato Andrade (PR), o governador não pode pegar a sua história política e jogar no lixo com o atual comportamento. Para ele, Rollemberg precisa repensar seus atos e parar de jogar a responsabilidade de seu governo nos servidores e na Câmara.

Coragem – O deputado Roosevelt Vilela (PSB) foi a voz solitária em defesa do governo. Na opinião de Vilela, o governador vem tomando as medidas necessárias para restabelecer o crescimento de Brasília. “O governador tem consciência da situação e está fazendo o que é possível, com muita coragem”, defendeu o parlamentar.

Já o deputado Chico Vigilante, líder do PT, reclamou da qualidade dos projetos encaminhados pelo GDF ao Legislativo. Segundo ele, Rollemberg precisa encontrar com urgência alguém para escrever os projetos do governo de forma clara e compreensível. Ele citou problemas no projeto que trata da alienação de imóveis, que não informam como será feita a venda. “Já tem quase um ano de governo e até agora não aprenderam a fazer os projetos. A proposta de venda de participação acionária de empresas públicas consta em dois projetos diferentes”, exemplificou.

Vigilante também criticou projeto do Executivo que chegou à Câmara nesta quarta e propõe um aumento na taxa de licenciamento de veículos de 31%. Para Vigilante, além do aumento pesar no bolso da população, o dinheiro arrecadado pelo Detran não é usado para nada. Ele disse que pretende propor que os recursos do Detran sejam usados para tapar buracos nas vias da capital.

Chico Vigilante reclamou da judicialização da greve dos servidores e aconselhou o governador Rollemberg a dialogar com o movimento sindical. O distrital também defendeu a retomada da apreciação da Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS), cobrando do GDF o reenvio do projeto.


Leia mais:


 

Cunha terá dez dias para se defender no Conselho de Ética


PT é fratricida e se equivoca na economia, afirma PMDB


Ministro do STF autoriza quebra de sigilo de advogados da Lava Jato


 

Fonte:

Deixe um comentário