Servidores abraçam Ministério do Trabalho

Servidores protestam pacificamente contra o fim do Ministério. Foto: Brasília Capital

Servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) abraçam o prédio, como forma – pacífica – de protesto. O presidente eleito Jair Bolsonaro, confirmou na quarta-feira, 7, o fim do Ministério. A afirmação aconteceu após o almoço no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O presidente afirmou que a Pasta “será incorporada a algum ministério”.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o governo cogita a transferência das atribuições do Trabalho para um órgão ligado à presidência. Outra proposta sugere ‘fatiar’ o ministério em outras áreas, como a gestão de concessão de benefícios, como seguro-desemprego, para órgãos que realizem trabalhos na área social e a política do trabalho para o ‘superministério’ da Economia, que será conduzido por Paulo Guedes.

Outra questão cogitada pela equipe de Bolsonaro é a dos modelos para questões sindicais e de fiscalização.

Em nota divulgada na terça-feira, 6, o Ministério do Trabalho ressaltou que “foi criado com o espírito revolucionário de harmonizar as relações entre capital e trabalho em favor do progresso do Brasil”e que “se mantém desde sempre como a casa materna dos maiores anseios da classe trabalhadora e do empresariado moderno, que, unidos, buscam o melhor para todos os brasileiros”.

Veja a transmissão ao vivo do protesto, no Twitter oficial do Ministério:

Fonte:

2 Responses

  1. eu acredito que; o futuro presidente, não vai exonerar servidores que trabalham no ministerio, mas; é bom ficar na espreita, porque uma mudança assim radical, os servidores não está acostumado, acredito que tudo vai dar certo, com Deus na frente vai, o rei DAVI, também sofreu com mudanças em israel no tempo medieval, nas provincias, foi dificil para obter um governo de paz e armonia mas, com tudo isso esperamos que no brasil as coisa possam andar de pé pra frente, vamos confiar em DEUS.

  2. O problema não é a exoneração dos servidores. Os concursados têm estabilidade. O que não estão levando em conta é a importância do órgão.
    Querem transformar o trabalhador em seres subservientes. O trabalhador precisa é de qualificação e, o Brasil, está devendo isso a esse povo sofrido.

Deixe um comentário