Servidor é imediatamente exonerado por falsificação e corrupção passiva

 

21267861093_a509657a22_z
O vice-governador reiterou que não serão tolerados atos de corrupção

Após a prisão de servidores suspeitos de aplicar golpes em inscritos em programas habitacionais e empresários, um homem que trabalhava na Vice-Governadoria de Brasília também está na cadeia. Flagrado tentando vender licenças ilegais de funcionamento de food trucks, Caique de Oliveira Mora, de 32 anos, está preso deste quinta-feira (1º), e a exoneração foi publicada na manhã de hoje (2), no Diário Oficial do Distrito Federal. 

Morador de Brazlândia, Mora era assessor da Subsecretaria de Administração Geral desde fevereiro deste ano e recebia remuneração bruta de R$ 2.937,71. “Não importa qual seja o nível da pessoa dentro na administração pública de Brasília, porque se apresentar qualquer ato associado à corrupção, será punido”, garante o vice-governador Renato Santana.

De acordo com Santana, o funcionário deixou um currículo com sua equipe ainda no início do ano. Caique não tem passagens pela polícia, mas há relatos de internações em clínica de recuperação e desintoxicação. Se condenado, pode cumprir entre 4 e 18 anos em regime fechado por falsificação de documentos e corrupção passiva.

“Temos contato com a família dele, que é de bem”, acrescenta o vice-governador. “Os colegas de trabalho disseram que não desconfiavam de nada e que ele sempre se mostrava um funcionário solícito.”


Leia mais:


 

MP da Suíça encontra US$ 5 milhões em contas de Cunha


Dilma anuncia reforma ministerial nesta sexta em Brasília


Novo titular da saúde: não me curvo a pressões


 

Fonte:

Deixe um comentário